Buscar
  • @_KaioMoura

Análise | A Babá - Rainha da Morte

Atualizado: 27 de out. de 2020

É o famoso mais do mesmo. Confesso que dá pra se divertir um pouco com a sequência, mas a maior surpresa mesmo foi o filme ter ganhado "mais uma chance".

Se você assistiu ao primeiro filme e gostou, talvez se divirta um pouco com a tentativa (falha?) da Netflix de levar o "clássico" a um novo patamar. Vamos ser sinceros, não dá pra classificar A Babá como um filme bom, no máximo podemos dizer que ele é "ok" pra assistir numa tarde tediosa de domingo. A sequência nada mais é do que uma sátira de horror bem estilho Todo Mundo em Pânico.


Rainha da Morte se passa exatamente 2 anos após os acontecimentos do primeiro filme. Cole (Judah Lewis) agora precisa sobreviver à "carnificina" que é o ensino médio quando todos pensam que você é louco. Isso mesmo, já que Bee (Samara Weaving) e sua trupe demoníaca desapareceram depois daquela noite conturbada sem deixar vestígios. Quando seus pais resolvem levá-lo para uma escola psiquiátrica, Cole foge com Melanie (Emily Alyn Lind) e seus amigos para super festa no deserto. Aí que as coisas começam a sair fora de controle novamente.


Repetindo a dose de loucuras do primeiro filme, temos de volta a turma satânica e atrapalhada composta por Robbie Amell (Que para a nossa alegria, ou não, não sabe que camisas existem), Andrew Bachelor, Hana Mae Lee e Bella Thorne. Em um segundo ato composto por perseguições, mortes, muito sangue e rochas caindo do penhasco DO NADA (Juro que na hora me trasportei pra minha infância assistindo Papa Léguas), de tão ridículo que é o filme, chega a ser divertido.


Talvez o diretor e produtor McG tenha exagerado a mão no ridículo, e definitivamente algumas coisas poderiam ser descartadas para deixar o filme um pouco mais tolerável. A tentativa de nos fazer engolir aqueles letreiros idiotas e AQUELA cena de luta (PQP!!!!) faz você refletir se quer mesmo continuar assistindo.


Mas pra mim, o maior erro de A Babá Rainha da Morte é a ausência de Samara Weaving durante quase todo o filme. A química com o protagonista que ela trouxe no primeiro filme, juntamente com a ótima atuação de ambos, fez muita falta nessa sequência. Pelo menos a introdução de Phoebe (Jenna Ortega) na história deu uma equilibrada, sem contar nas inúmeras referências à cultura pop que deixa os diálogos mais divertidos.



Enfim, se você está esperando um "uprade" nesse segundo filme, provavelmente você irá se decepcionar bastante. Porém, se assim como eu, você for assistir esse filme com total de ZERO expectativa, você pode até se divertir um pouco e achar que não foram quase 2 horas da sua vida totalmente desperdiçadas.


E aí, o que você achou dessa sequência? Se você já assistiu, diz aqui pra gente o que achou e se concordou ou não com a nossa análise.

0 comentário