Buscar
  • @luigienricky

Análise | Aggretsuko - Temporada 2

Atualizado: 26 de out. de 2020

Quem também ganhará um nova temporada na Netflix junto com Lúcifer é a fofíssima Aggretsuko e este que vos fala nem consegue conter as emoções para falar dessa preciosidade contemporânea!


Todo mundo que vive uma rotina comum já se percebeu refletindo sobre a vida no ônibus, carro ou metrô. Tenho certeza que você já se pegou observando prédios ou pessoas e imaginando o que se passa dentro deles (dos prédios, não das pessoas), nas suas cabeças (das pessoas, não dos prédios).


Sei que você já teve problemas no trabalho com pessoas chegando e querendo mostrar serviço de uma forma nada cordial. Sei também que em algum momento você já começou um mal entendido por não saber usar as palavras certas na hora certa. É normal que em algum momento de nossas vidas, com base em experiências ruins do passado, acabamos afastando de nós pessoas que só querem nosso bem e nos amam por simples medo de sofrermos de novo.


Pois é exatamente disso que esse anime maravilhoso trata. Criado e desenhado pela equipe da SANRIO (A mesma de HELLO KITTY) e mesmo tendo uma classificação de 12 anos, dificilmente uma criança conseguirá se interessar por esta obra justamente por focar muito em como é ser um adulto assalariado vivendo no mundo corporativo.

Dilemas familiares, amorosos e financeiros tomam conta da vida de Retsuko


E porque uma pessoa adulta deve assistir?


Na primeira temporada fomos apresentados a protagonista Retsuko que só queria se casar para sair do emprego e que vai ao karaokê cantar um gutural pesadão para aliviar o estresse.

O dilema da protagonista continua sendo trabalhado na temporada 2 só que de forma mais madura, há uma notável evolução de mentalidade na personagem que se vê lutando constantemente contra os costumes retrógrados do Japão ao mesmo tempo em que sonha constituir família. Isso tudo da muitas camadas a pequena tanuki cantora e se torna impagável cada careta ou questionamento que faz a si.


Na segunda temporada Retsuko tem a chance de realizar todos os seus sonhos mas pagando um preço que não imaginava que seria tão custoso.

Ela é muito chegada num roquê


Com os novos episódios, somos apresentados a três novos personagens nos dois arcos que compõe a temporada de 10 capítulos, ambos dão um frescor diferente a série e conseguem abalar as estruturas da protagonista, aliás, um deles consegue sacudir com todos os núcleos, principalmente a galera do escritório o que é sempre muito legal e estranhamente familiar de se ver.


Alguns personagens bem chatos e irritantes da temporada 1 recebem uma atenção maior na tentativa de justificar as suas personalidades, o que da super certo, que bom!

Cada episódio tem em média 16 min o que torna muito fácil e prazeroso de maratonar, coisa que é difícil eu fazer ultimamente mas é tudo tão divertido que você vai acabar antes do que imagina e ainda vai ficar querendo mais.

Como se não bastasse os problemas pessoais da vida adulta, Retsuko ainda tem que administrar brigas de colegas de trabalho


Hoje em dia são poucos os animes que conseguem me atrair devido a cultura machista e sexista que são comuns a este tipo de obra, felizmente AGGRETSUKO contorna esses problemas (não tão bem assim) e de forma lúdica e criativa você até consegue entender o que leva todos a pensar dessa forma!

Você só vai saber se ele é um boy lixo se assistir a série!



0 comentário