Buscar
  • Carolina Mezalira

Análise | Alma de Cowboy - Um filme que retrata uma realidade, mais sem nenhum aprofundamento

Vocês com certeza já devem ter visto o astro Caleb McLaughlin como Lucas da série Stranger Things da dona Netflix (a quarta temporada desse sucesso está a caminho!). Pois ele cresceu, e no novo filme da plataforma, Alma de Cowboy, ele está como um jovem rebelde que vai morar com o pai distante, onde ele fica dividido entre a criminalidade e manter o legado de cowboys da Filadélfia, qual será o lado escolhido?


Se liguem no trailer e logo em seguida no que achamos da produção:



Sinopse


A trama de Alma de Cowboy é baseada no livro “Ghetto Cowboy’’, onde temos um aprofundamento na história real dos estábulos de Fletcher Street na Filadélfia nos Estados Unidos, no local vive uma comunidade negra de cavalaria urbana.


Nos primeiros minutos do longa, somos introduzidos a Cole (Caleb McLaughlin), um adolescente rebelde que vive com sua mãe, porém quando as coisas fogem do controle ela imediatamente o leva para passar o verão com seu pai distante, Harp (Idris Elba), na cidade ele reencontra um amigo de infância, Smush (Jharrel Jerome) que infelizmente já estava envolvido com a criminalidade.


Depois de muito desentendimento entre pai e filho, os dois finalmente se entendem, onde o jovem forma uma linda amizade com seu novo cavalo, Boo.


É representatividade que se fala...

Quando ouvimos falar de Caubói, com certeza a primeira coisa que vem na sua cabeça é um homem branco com botas, chapéu e carregando uma arma como os astros Jonh Wayne ou Clint Eastwood. Mas essa não é realidade, onde a maioria desse grupo são pessoas negras do velho oeste americano.


Um dos principais pontos da nova produção do streaming é todo mundo do elenco ser negro (ganhou um ponto na representatividade!), assim as pessoas que pertencem a essa etnia se sentem facilmente representadas no filme, sendo assim dá para sentir uma verdade na história.


Personagens sem aprofundamentos...

Por outro lado, várias questões na trama ficam em aberto, se não fosse pelo elenco espetacular não prenderia tanto os telespectadores. Como por exemplo: não sabemos por que Harp trata seu filho com a indiferença? nem o motivo de Cole ser tão revoltado? e qual o motivo que levou Smush a ter entrado para o crime? São algumas respostas que os telespectadores não conseguem obter respostas.


Sem falar que o diretor, Ricky Staub, esse é o seu primeiro trabalho, ele poderia ter melhor explorado a relação de Cole com Boo ja que falam por ai que o animal que escolhe seu dono.


O longa tem quase duas horas de duração, a meu ver entreteria mais o público se respondessem essas perguntas, aprofundando mais na vida antes do jovem chegar na cidade.


A princípio o longa era para falar sobre a relação conturbada entre pai e filho, porém ela ficou em segundo plano dando espaço ao legado e sobre as culturas dos cavaleiros afro-americanos e suas histórias reais.


A fotografia do filme é muito escura, podendo incomodar os telespectadores e a câmera poucas vezes se afastam dos personagens, dificultando ver todo do cenário.

Alma de Cowboy é um filme superficial que tenta retratar a realidade vivida pelos caubóis da Filadélfia, porém ele é insuficiente não aprofundando em nenhum questionamento. O longa tem um roteiro simples que deixa a relação conturbada de pai e filho de lado, o filme não vai agradar todo mundo, mas é um belo passatempo num final de semana com a sua família.




Já viram Alma de Cowboy? Gostaram? Se impressionaram com a atuação de Caleb McLaughlin? Não esquecem de seguirem o Fendageek nas redes sociais para ficarem por dentro das novidades !


0 comentário