Buscar
  • Giulia K. Rossi

Análise | Apresentando, Nate - Um musical que diverte, mas tem medo de ousar

Gosta de um bom musical da Broadway? Então Apresentando, Nate foi feito para você! Dirigido por Tim Federle, o novo filme da Disney+ traz para dentro das telinhas toda a energia do icônico teatro de Nova York, buscando divertir toda a família com uma história simples e dinâmica. Mas e aí, será que vale a pena dar o play?


A comédia acompanha Nate Foster (Rueby Wood), um garoto de 13 anos fissurado por peças musicais, e que sonha se tornar uma grande estrela. Porém, quando seus planos vão por água abaixo, ele planeja uma ousada viagem para Nova York com a sua melhor amiga, Libby (Aria Brooks), para audicionar na mais nova produção da Broadway.


A Disney sendo Disney


Sem sombra de dúvidas, Apresentando, Nate, é uma produção Disney+. Utilizando-se de todos os arquétipos comuns de filmes do gênero (o protagonista excluído, a melhor amiga excêntrica, o irmão mais velho popular, e o valentão da escola), o filme pouco se afasta da fórmula Disney e reaproveita todos os clichês que já conhecemos, sem muita novidade.


A grande sacada do filme, contudo, está nas suas inúmeras referências, que brincam com clássicos da Broadway e conversam muito bem com o público apaixonado por teatro. Os números musicais, inclusive, são um dos principais aspectos positivos da obra.


Ainda entre os pontos altos da produção, não podemos deixar de falar sobre o seu elenco. Composto por atores talentosos (o estreante Rueby Wood surpreende), o filme conquista parte do coração da audiência, mesmo que a outra metade fique com um pé atrás pela falta de ousadia e inovação.


Sem pedras no caminho


O filme de Federle tem uma narrativa dinâmica, que prende o telespectador no sofá, porém, para por aí. A obra caminha apressada de um lugar para o outro, com poucos conflitos substanciais e um aprofundamento raso em todas as histórias que, de fato, elevariam o filme para outro nível. De uma maneira geral, tudo parece um tanto “fácil” e até anticlimático.


Embora o longa ainda emocione, especialmente com a relação de Nate com a sua tia, interpretada pela maravilhosa Lisa Kudrow (a melhor parte do filme, já ouso dizer), a produção tateia com MUITO cuidado (até demais) em cima de assuntos relevantes (como a representatividade LGBTQ+), e o desenvolvimento de seus protagonistas.


Sucesso?


De modo geral, Apresentando, Nate é um filme gostoso de assistir e um entretenimento garantido para toda a família. Entre altos e baixos, o longa emociona, diverte e traz aquela mensagem alto astral, típica das produções da Disney. É uma pena que o enredo não soube ser tão ousado quanto o seu protagonista.


0 comentário