top of page
Buscar
  • Carolina Mezalira

Análise | Avatar: O Caminho da Água – Melhor filme do ano!

O grande diretor James Cameron esperou 13 anos para lançar a continuação de seu maior sucesso: Avatar. E posso dizer que a espera valeu cada segundo, o primeiro filme teve sua estreia em 2009 contando a história do povo do clã Na'vi que vive em Pandora, uma lua com características muito semelhantes ao planeta terra, porém eles possuem recursos incríveis diferenciando – os dos seres humanos.

O longa protagonizado por seres azuis ganhou holofotes não apenas por abordar de forma sensível o quão cruel podem ser os seres humanos por benefício próprio, mas também pela qualidade visual, já que foi gravado inteiramente em 3D.


Finalmente após uma década, os fãs antigos e novos, podem conferir nos cinemas a sequência da franquia denominado Avatar: O Caminho da Água. Que fique claro a longa espera só aconteceu porque o diretor quis gravar todos os filmes ao mesmo tempo, garantindo os roteiros mais amarrados possíveis e não terem erros de continuidades.


Efeitos visuais de primeira!!!

A trama da família Sully de longe é encantadora, contudo, com certeza o principal chamariz do filme são os efeitos visuais, os telespectadores vão entrar de cabeça nas profundezas dos oceanos de Pandora. Se no primeiro filme já nos encantamos com os recursos usados para criar o todo o universo visto nas telonas, a sequência impressiona ainda mais, visto que, atualmente o mercado cinematográfico evoluiu muito em relação as tecnologias usadas em grandes blockbusters.


Desta vez, Jake Sully (Sam Worthington) e Neytiri (Zoe Saldana) junto com seus filhos são obrigados a se mudarem para uma região distante de Pandora, onde os habitantes de lá são semelhantes a eles, porém com algumas diferenças como: a pele esverdeada. Enquanto os avatares conhecidos pelo publico são adaptados para viverem na floresta, os ‘’novos’’ passam mais tempo na água e tem seus corpos adequados para nadar e ficar mais tempo sem respirar.


Os efeitos visuais são belíssimos (está de parabéns, viu!) A cada mergulho e aprofundamento nos oceanos, nossos olhos se encham de detalhe fazendo nossa experiencia ser única, e não desgrudarmos nenhum segundo da telona, para não perdermos nenhum instante do longa.


A família é o nosso ponto de equilíbrio!!!

Como o próprio Jake Sully mencionou algumas vezes a principal missão dos pais é proteger seus filhos e isso eles tiram de letra. Por isso, de longe a grande lição do filme é a família, e companheirismo entre eles pois juntos são mais fortes, ou seja, ninguém vai conseguir separá-los.


Roteiro!

Avatar e Avatar: O Caminho da Água é uma obra cinematográfica que encanta o publico mais pela fotografia do que pela trama, mas seu roteiro não é ruim longe disso. Os filmes trazem histórias importantes que nos fazem refletir, questionar e revoltar, porém, são básicas. Eu quero dizer que o diretor preferiu se aprofundar nas tramas ‘’secundarias’’ pelas imagens fantásticas que são exibidas nas telas do que por enrolações e pontas soltas.


James Cameron foi inteligente em não desenvolver um roteiro tão complexo, com o objetivo de não distrair o telespectador dos encantos que levaram anos para serem desenvolvidos. Roteiros incríveis e impecáveis existem um monte por aí, mas Avatar: O Caminho da Água não precisa ser destes pois seu encantamento existe de outras formas.


Pandora viajou até Orlando!

Avatar teve uma grandiosa estreia, sendo considerado a maior bilheteria mundial esse fato foi plausível para que em 2017 inaugurasse no Animal Kingdom em Orlando uma área temática totalmente dedicada a Pandora e seu povo, os Navi’s. Na semana de estreia de Pandora – The World of Avatar, a principal atracão teve em torno de 6 horas de fila (isso, sim é ser fã!).


Ainda não tive a oportunidade de conhecer, mas pela fotos posso afirmar que o lugar é lindo, imitando uma verdadeira floresta. No local, temos duas atracões: a primeira chamada Avatar Flight of Passage, onde os visitantes sobrevoam o reino em seus banshees fazendo nos sentirmos como se fossemos verdadeiros Navi’s. Já em Na’vi River Journey somos convidados para explorar um rio com criaturas misteriosas e visualmente atraentes (Vai encarar!)


Valeu a espera?

A dúvida que não quer calar é se Avatar: O Caminho da Água valeu sua ida ao cinema. E sim na minha opinião foi um lindo presente para finalizarmos o ano com chave de ouro. A história foi feita com todo um cuidado para que não tivessem furos em seu roteiro para assim conseguir emocionar, divertir, deixar seu publico aflito com as cenas de ação e voltar para a casa com a sensação de dever cumprido.



0 comentário
bottom of page