Buscar
  • marianafrancomague

Análise | Confissões de uma Garota Excluída - Filme leve, divertido e com mensagens importantes

Klara Castanho e Thalita Rebouças fazem uma dupla incrível desde Tudo Por Um Pop Star (aliás, assistam esse filme que tem até o Felipe Neto fazendo um pseudo Hugo Gloss), e agora elas estreiam mais um longa juntas, então vem saber tudo sobre Confissões de uma Garota Excluída!


Ahhh o Ensino Médio...


Sabe aquela pessoa da sua sala que você nem sabe direito como é a voz? Pois essa é nossa protagonista, a Tete (Klara Castanho)! A garota é a típica nerd da escola, que não tem amigos, raramente sai de casa, mas, quando ela tenta ser diferente, coloca o cinto porque é confusão na certa.


E tudo só piora quando ela precisa mudar de escola e para a casa dos avós, pois seu pai perdeu o emprego. Então vamos acompanhar a Tete na missão de passar sem vexames por essa situação, e no meio do caminho quem sabe arranjar algum amigo e um crush.


Sem noção é elogio


Um aspecto do filme que no começo era até engraçado, mas que no decorrer da história foi me dando nos nervos, é a família da Tete, pois todos ficam criticando cada respiração da menina, o jeito como ela se veste, o seu cabelo e o que ela come ou deixa de comer. Isso acontece principalmente pela sua mãe (Julia Rabello) e sua avó (Rosana Gofman), que possuem zero filtro e zero tato com a menina - bullying familiar pesado!


Adolescente dramática nível hard (aviso de spoilers)


Como estamos falando de um filme adolescente, tudo é muito exagerado, e as aflições e as consequências do que os personagens fazem são elevadas a décima potência Porém, se você relevar isso, provavelmente vai se identificar muito com pelo menos um dos protagonistas.


Sendo uma pessoa que já sofreu muito bullying na vida, posso te dar certeza que a Tete é super real. Ela erra sem parar, mas nunca deixa de tentar melhorar, até que percebe que precisa melhorar por ela mesma, e não por causa do que os outros vão pensar. E ai chegamos em uma das melhores cenas do filme, quando ela chega pra família dela e diz que ela é uma garota de 17 anos: ela vai chorar, ela vai sofrer e tá tudo bem com isso.


Amizade pra vida toda


Mas com certeza o ponto alto do filme é a amizade criada entre a Tete, o Zeca (Marcus Bessa) e o Davi (Gabriel Lima), eles três são o tipo de amigos que estão do seu lado quando tudo estiver desmoronando. O Zeca pode parecer meio caricato para alguns, mas depois de um aprofundamento na sua trama, isso se torna apenas parte da sua personalidade, bem peculiar, aliás. Ele é aquele que fala o que você precisa ouvir mesmo que doa (os melhore amigos são assim).


Temos romance, é claro, mas o bom é que o romance é só pano de fundo para o crescimento dos personagens. Todos os ingredientes para um clássico filme teen estão aqui, como o típico crush no garoto popular, que namora a garota magra, loira e popular. Falando nela, a Julia Gomes fez tão bem a Valentina, que me deu uns déjà vus bem loucos da escola. No final, ela e a Tete se envolvem em um mistério que tinha tudo para ser bem legal, mas foi mal aproveitado.


Confissões de uma Garota Excluída não é um primor de roteiro e reviravoltas, mas passa uma mensagem muito (pra caramba mesmo) importante sobre aceitar a nós mesmos, e fazer as coisas porque NÓS queremos, e não os outros, e de enfrentar o bullying não com mais violência, mas sim com empatia.


0 comentário