Buscar
  • @tonfabricio

Análise | Convenção das Bruxas - Zero terror e muita fofura

E o remake de Convenção das Bruxas finalmente chegou ao Brasil para a alegria dos amantes do clássico dos anos 90. Convenção das Bruxas é baseado no livro The Witches, escrito por Roald Dahl.

O filme conta a comovente história de um garoto (Jahzir Kadeem Bruno) que perde os pais em um acidente de carro, consequentemente, ele acaba morando com sua amada avó (Octavia Spencer) no Alabama.


Certo dia, o neto cruza o caminho de uma mulher estranha, descobrindo a existência de bruxas. O garoto aprende que esses demônios em formas femininas ODEIAM crianças e, junto de sua avó, eles partem para um hotel com o intuito de impedir a maldade desses seres. Porém, naquele mesmo local, um coven se reúne para planejar uma forma de exterminar TODAS as crianças do mundo. (Amada??)


Os lados positivos do remake


A nova versão de Convenção das Bruxas é encantadora, com cenários em diferentes cores de acordo com o humor e a situação do momento. Ao longo do filme, podemos ver ambientes esverdeados, amarelos, vermelhos, rosas, dentre outros. É notável o cuidado que a equipe técnica teve nos detalhes. Além disso, embora a Anne Hathaway seja uma ótima atriz, quem brilha mesmo é a Octavia Spencer, Jahzir Kadeem Bruno, Codie-Lei Eastick e a narração de Chris Rock. As interpretações e vozes dos atores citados são maravilhosas!

O remake é charmoso, delicado, divertido e tem seu lado engraçado. É notável que o filme foi focado mais no público infantil do que a versão com Anjelica Huston (deusa demais, né?).


Falando no quesito história, eu acredito que o longa agrade a maior parte do público, pois não perde a essência do primeiro, mas acrescenta um tom mais feliz, além de abordar o racismo de uma forma mais delicada e tocante.


O lado negativo do remake


Para quem já viu a primeira versão, sabe que foi um marco para a época. O filme de 1990 não tinha tecnologias como hoje em dia, mas entregaram um horror infantil de forma impecável. Os bonecos, maquiagem, efeitos e máscaras usadas são insuperáveis comparadas ao efeitos especiais (CGI). Particularmente, eu não sou fã de muito CGI, mas se for pra usar, que seja muito bem feito, para não parecer uma cena do Play Station 1. (o filme parecia o Play 2)

Os efeitos são fracos e sem o charme do original. Eu não gostei do resultado do rosto de Hathaway no teaser liberado. Eu pensei que aquela cena fosse apenas uma parte e eu torci para vê-la muito assustadora, mas é só aquilo mesmo, não se empolguem. Aquela imagem que temos de bruxas feias, com verrugas, narigudas e com a cara de demônio, se transformam apenas num sorriso igual o gato em Alice no Pais das Maravilhas.

Os efeitos especiais ficam ainda piores em cenas estendidas e desnecessárias. A bruxa suprema de Huston tem o andar empoderado, um olhar marcante e é notável que ela é como uma estrela de Hollywood para as outras bruxas, que ficam eufóricas de alegria com a presença da suprema. No novo, Hathaway flutua desnecessariamente. Os passos empoderados da primeira versão não existem. Além disso, a produção perde muito tempo em cenas que ficaram legais apenas na mente deles, como em duas cenas quando a suprema estendendo o braço (sério, produção?).

E se vocês esperam ansiosamente pelo ato final, o ápice do filme, com bruxas se transformando em (sem spoiler para quem não viu a primeira versão), já aviso que não foi incrível. Novamente, o filme de 1990 tem um charme único na cena do jantar. Embora naquela época tenham usado apenas máscaras e bonecos eletrônicos, o filme conseguiu causar medo e nojo em muitos no momento da transformação.

Entretanto, Convenção das Bruxas de 2020 tem cenas bobas, com bruxas sendo jogadas pelo ar, além do desfecho ser ridículo, embora Hathaway tenha feito um papel engraçado nessa cena.


O final foi do filme ou do livro?


Para quem não sabe, o autor do livro abomina o filme, pois o final do longa foi diferente de seu romance. O livro tem um final triste onde o garoto não retorna a sua forma original, já o filme dos anos 90 foi alterado e uma bruxa o transforma de volta em um menino.

E agora?? A versão de 2020 terminou como?? Não posso contar!! Assistam e depois falem o que acharam. Apenas digo que o começo do filme é dica sobre qual versão foi selecionada.


Mesmo com qualidades e defeitos, Convenção das Bruxas merece ser assistido!! É um filme lindo com uma grande mensagem no final!!




Gostaram do filme?? Qual versão vocês preferem?? Comentem!!


0 comentário