Buscar
  • @jecksBeraldo

Análise | (Des)encanto - Uma princesa, um Elfo e um Demônio entram num bar

No final de Janeiro a Netflix lançou a terceira parte de (Des)encanto, mais uma animação adulta de Matt Groening, criador de The Simpsons e Futurama.

A saga de Bean, Elfo e Luci retornou no dia 22 de Janeiro na plataforma com novíssimos 10 episódios. Mas se você ainda não sabe do que se trata o desenho confira o trailer e o nosso breve resumo:


(Des)encanto conta a história de Bean, a princesa do reino medieval conhecido como Terra dos Sonhos (Dreamland, na versão original). Considerada por muitos como rebelde, Bean curte uma cerveja, festas e está cansada dos estúpidos pretendentes que seu pai lhe arruma pra casar, ela pretende seguir seu próprio destino e com a ajuda de um Elfo, que cansou de ser feliz, e de seu Demônio pessoal, Bean busca por noites de bebedeira e novas aventuras.


A animação é estrelada por Abbi Jacobson, Eric André, Nat Faxon, John DiMaggio, Tress MacNeille, Matt Berry, David Herman, Maurice LaMarche, Lucy Montgomery e Billy West.


A série como um todo é bem divertida, Groening como bem sabemos manda muito bem nas animações e dessa vez não foi diferente, os personagens são carismáticos e te prendem à história, não só por que eles estão "botando fogo no parquinho" como Bart e Homer, mas por que passamos a nos importar com eles e com o desfecho de suas histórias.


Dona de um Humor ácido já muito presente em suas séries irmãs, (Des)encanto usa o reino dos sonhos para abordar questões muito atuais como racismo e claro o Machismo. Bean é uma princesa pra lá de desconstruída e a animação acaba por brincar muito com os padrões já pré-estabelecidos e desejados pra uma moça loira e bem nascida da idade média.


Corta pra parte 3


Agora que já resumimos a série, se você ainda não viu as partes 1 e 2, não quero te desanimar mas já chego dizendo que a três deixa a desejar. (aqui nóis rima melhor que o Projota).


A Terra dos Sonhos precisa de um novo governante, já que o Rei Zog não está lá muito bem e então chega o momento de Bean assumir suas responsabilidades de herdeira, e a personagem que anteriormente deu voltas e voltas pra fugir de um destino desses, retorna ao lar pra assumir sua posição e dar o seu melhor como rainha mesmo que isso comprometa sua amizade com Elfo e Luci.


A série animada de Groening tem problemas com a expansão de seu universo, os novos reinos e vilões apresentados foram pouco trabalhados e ainda tem muita informação no ar.


Sim, as piadas continuam geniais, mas é importante lembrar que justamente o que torna (Des)encanto diferente de outras animações com o mesmo humor nonsense é justamente a continuidade do roteiro que tende a prender o espectador, se nas partes 1 e 2 tivemos mistério e ganchos interessantes, a terceira temporada dá poucas respostas e traz dúvidas.

A série deixa pra quarta temporada a responsabilidade de trabalhar bem os arcos e trazer mais coesão a história, recentemente os produtores da série afirmaram que já estão trabalhando em uma nova continuidade da trama, apesar do covid-19 ter atrapalhado o lançamento da parte 3 a previsão da quarta temporada é para março de 2022 e segue dentro do cronograma.


Não deixe de assistir (Des)encanto na Netflix e comentar aqui com a gente o que você achou da série!




Curtiu a nossa análise? Não deixe de conferir outras matérias do site:

Análise | Malcolm & Marie - É na raiva que conhecemos a pessoa de verdade

Análise | Cidade Invisível - Carlos Saldanha coloca as lendas do Brasil no mapa internacional

0 comentário