Buscar
  • Carolina Mezalira

Análise | Doze é Demais – O remake é realmente necessário?

A onda dos remakes veio para ficar, recentemente tivemos aclamadas produções como: How I Met Your Father, Obi-Wan Kenobi (este ainda não estreou...) e Esqueceram de mim no Lar, Doce Lar. Todos esses nomes mantiveram a essência original, porém deram uma modernizada nos clássicos que já conhecemos, contudo sempre martela na nossa cabeça se realmente precisa de uma nova adaptação.

O filme lançado exclusivamente no Disney+ é inspirado em Doze é Demais estrelado pelos astros Steve Martin e Bonnie Hunt, com certeza essa comédia se fez presente na casa de muitas crianças que cresceram nos anos 2000. A nova produção adota a mesma formula da história de 19 anos atrás, porém os produtores conseguem dar um ar contemporâneo e de igualdade.


Estamos cansados de saber que na maioria das vezes os protagonistas são brancos que nem estão perto de sofrerem preconceitos, com isso a nova trama aposta em trazer igualdade para as telinhas. Além de apresentar os Bakers como uma família inter-racial, a nova versão também conta com uma adolescente com deficiência física e um filho adotado de origem indiano (Eita mistureba boa!!!).


Família, Família almoça junto todo dia...

Zoey (Gabrielle Union) e Paul (Zach Braff) decidem se casar e para isso tem uma missão complicada a seguir: Juntar todos os filhos sob o mesmo teto, eles têm personalidades e necessidades muito distintas entre si, com uma família tão grande certamente teremos muita confusão a vista, não é mesmo?


Ao mesmo tempo que as tarefas domiciliares não param de acumular, o casal também enfrenta uma crise financeira. Contudo, o patriarca dos Bakers consegue ter uma ideia revolucionária e recebe a oportunidade de mudar de patamar a vida de sua família, essas novas mudanças podem mudar a vida deles para sempre.


O remake de Doze é Demais se faz necessário?

A indústria Hollywoodiana ainda necessita abrir muito espaço para se tornar um sistema diverso e igualitário. E os remakes são um jeito que os estúdios arrumaram para concertar os erros do passado.


Doze é Demais é a prova viva disso, visto que, nos anteriores somente pessoas

‘’padrões’’ se identificariam, já no novo filme filhos com pais separados, brancos, negros, pessoas com deficiência e até góticos conseguem assistir ao longa e identificar histórias de suas próprias vidas na telinha, ou seja, posso afirmar com todas as letras que ele é necessário, dando abertura para debates sociais importantíssimos hoje em dia.


O elenco é bom?

O elenco como um todo é excelente, porém os que mais chamaram minha atenção são os gêmeos Luna (Mykal-Michelle Harris) e Luca (Leo Abelo Perry), os pequenos são hilários conseguindo arrancar risos do publico com poucas palavras.


Mesmo que o filme original tem um lugar muito especial no meu coração, não podemos negar que a nova versão traz assuntos relevantes de maneira leve se tornando mais necessário do que anterior, mas ambos continuam divertindo o público do mesmo jeitinho.


Já assistiram o remake de Doze é Demais? Gostaram? Acharam engraçado? Não esquecem de seguirem o Fendageek nas redes sociais para ficarem por dentro das novidades!

0 comentário