Buscar
  • marianafrancomague

Análise | Emily em Paris - Aquele gosto de quero mais

Atualizado: 26 de out. de 2020

Fala aí amantes de séries!! Se vocês gostam de histórias leves, divertidas, que te prendem na e te deixam querendo mais quando acaba, Emily em Paris é pra você.


Premissa


Emily (Lily Collins) é uma jovem com uma carreira e um relacionamento estável em Chicago, porém ela joga tudo isso pro alto quando recebe uma oportunidade de trabalhar como assessora de marketing em uma agência de comunicação em Paris. Entretanto, a protagonista não fala francês e tem dificuldades para se adaptar em sua nova vida.


A Emily é muito influencer


Paris deve ser mágica mesmo, pois a jovem ganha mais de 15k seguidores desde o começo da série, documentando todos os seus desafios e descobertas no seu Instagram @emilyinparis.


A jovem usa as redes a favor do seu trabalho na agência parisiense, mostrando como as novas tecnologias estão vindo para facilitar o mercado de comunicação. No entanto, sua chefe, Sylvie (Philippin Leroy-Beaulieu), não gosta das mudanças que a americana quer fazer em sua agência.


Estereótipos foram TOO MUCH


Sylvie é aquele tipo de Bitch (uma tentativa de Miranda Pristley) que você se apega em determinado momento, embora um dos grandes pontos negativos da série é o estereótipo francês muito exagerado. Os colegas de trabalho e amigos de Emily em sua maioria eram muito grosseiros e fumavam a toda hora, sendo assim, os telespectadores franceses não gostaram nada disso, e para quem não é francês, fica só uma grande vergonha alheia .


Exceção à Regra


Apesar dos pesares, temos personagens que, assim como a Emily, são apaixonantes desde o primeiro minuto em tela. Estou falando de Gabriel (Lucas Bravo) e Mindy (Ashley Park). A chinesa é simpática e receptiva com Emily desde o começo, onde ambas constroem uma linda amizade com honestidade e parceria.



Gabriel (suspiros) é o boy dos sonhos, o genro que toda mãe quer ter. Ele é cozinheiro e vizinho de Emily. Como ela não fala francês, o gato ajuda nos perrengues do dia a dia. Com essa proximidade, a tensão sexual entre os dois é visível. O rapaz é bonito, mas vai dar muita dor de cabeça pra nossa protagonista.


Acabou?


Um ponto que deixou a desejar é o final(sem spoiler aqui amô). O último episódio não tem cara de finale, pois ele acaba como qualquer outro e te deixa sem respostas, o que pode ser ruim caso não tenha uma segunda temporada.


O Diabo não veste mais Prada, ele veste Channel


O figurino de Emily em Paris é um caso a parte. Não sei vocês, mas eu queria o armário dela só pra mim!


O departamento é responsabilidade de Patrícia Field, a mesma figurinista de O Diabo Veste Prada e Sex and the City, ou seja, a cada episódio os personagens aparecem com um look mais babado que o outro. Em diversas vezes vemos Emliy usando marcas como Channel e Louboutin.

Emily em Paris está disponível na plataforma Netflix! Já assistiu? Deixe seu comentário!


0 comentário