Buscar
  • Carolina Mezalira

Análise | Fate A Saga Winx: Temporada 1 - Uma série para assistir em um momento de descontração

Meu caro Nerd, você com certeza saberá a melodia se eu escrever a frase: "Sei que você vai querer ser uma de nós, Winx quando damos nossas mãos, nos tornamos poderosas porque juntas somos in-ven-cí-veis....".


Hoje eu trouxe a análise da adaptação em Live Action da Dona Netflix da série animada renomeada de Fate: A Saga Winx. Antes de mais nada se liga no trailer:


Sinopse


Logo no inicio somos apresentados a Bloom (Abigail Cowen - O Mundo Sombrio de Sabrina) que chega a Alfea, um internato que ajuda as fadas a controlar seus poderes, já que a protagonista tem problemas com seus pais que supostamente são humanos normais.


Bloom tem o poder do fogo e como não sabia controlá-lo, acabou causando um acidente e machucando seus pais e esse é o motivo por ela se sentir tão culpada. Logo em seguida, somos apresentados as demais fadas: Aisha (Precious Mustapha), Musa (Elisha Applebaum), Stella (Hannah Van Der Westhuysen), Terra (Eliot Salt) que se tornam inseparáveis e juntas conseguem salvar a escola dos queimados.


No Alfea, além das fadas, tem os especialistas que não tem poderes mais possuem habilidades especiais, podemos citar Sky que posteriormente acaba se tornando o par romântico de Bloom.


Diferença do desenho para a adaptação!!!!!!!


No desenho, as fadas eram coloridas e a história era mais leve, já na nova série, a patroa dos streamings trouxe um tom mais sombrio e menos colorido, podemos ver que a dona Netflix acertou no publico mais teen que o seriado queria atingir.


Representatividade, né Mores?


Agora vamos falar das demais protagonistas, começando por Stella (Hannah Van Der Westhuysen) que é apresentada como a patricinha da escola, no qual apenas se importa com a aparência e se manter no poder, com o passar dos episódios os telespectadores descobrem que a fada é desse jeito por se sentir desvalorizada por sua mãe.


A Terra (Eliot Salt) (cujo nome já entrega suas habilidades) é o oposto de Stella, ela se sente muito insegura com o seu corpo já que ela foge do padrão da magreza, em contrapartida é muito segura com sua capacidade de manipular a natureza.


Musa (Elisha Applebaum) aparenta ser a típica "esquisitona" que vive com o fone de ouvido como forma defesa e isolamento social, pois o seu poder é sentir a emoção dos outros.


Por último, temos Aisha (Precious Mustapha), colega de quarto de Bloom e a fada da água. Ela é disciplinada, atleta, organizada e a sincerona do Rolê. Cada fada tem sua própria personalidade e diferenças entre sim, mais juntas elas são mais fortes e formam o Clube das Winx.


A fada mais poderosa de todas, Bloom


Bloom é uma protagonista cativante que possui muitas questões e precisa de respostas. No início da temporada ela descobre que é uma "trocada", ou seja, são bebês fadas que são enviados para o primeiro mundo no lugar de outra criança.


Com isso, tudo o que ela quer saber é quem são seus pais verdadeiros e porque seus poderes são tão fortes a ponto de não conseguir controlar.


Nem tudo são flores


Se tratando de uma história sobre fadas, os efeitos visuais são importantíssimos, mas acaba ficando a desejar (Netflix, você já foi melhor). Mas acaba sendo "aceitáveis" pelos padrões de produção voltada ao público teen.


A série possui ao todo seis episódios com cerca de 50 minutos cada, uma quantidade pequena relacionada a produções da Netflix. Com isso, não conseguimos nos aprofundar mais nas histórias das protagonistas e nem como funciona as aulas na Alfea.


Fate: O Saga Winx é uma série que pegou apenas a base da animação original, e mesmo que seja voltada para o publico teen, pode agradar todo mundo. Temos ação e o crescimento das personagens no decorrer dos episódios, vale a pena conferir !!!



0 comentário