Buscar
  • Luigi Leite

Análise | Genera+ion - Mais uma série LGBTQIA+ Cancelada precocemente!

A série original HBOmax protagonizada pelo gratíssimo e talentosíssimo Justice Smith (Detetive Pikachu/Observadores) demorou para chegar e quando finalmente fez a sua estreia não demorou para ser cancelada. Será que esse cancelamento foi justo ou é mais uma série com potencial de sucesso que foi podada por ter personagens LGBTQIA+ empoderados como protagonistas?


A geração do acolhimento


O mal dos nascidos nos anos 90 (eu incluso) é que a maioria se recusa a aceitar que a nossa juventude já foi embora. Mesmo que a comunidade LGBTQIA+ da época tenha aberto as portas e levantado discussões importantes para que a geração atual seja livre para se expressar da forma que quiser, são eles que estão mais a frente no quesito quebra de tabus, o que é sempre prazeroso de se ver.


Em Genera+ion temos um representante de cada letra da sigla da comunidade LGBT que torna fácil para o espectador entender o significado de cada uma delas, por mais leigo que você possa ser no assunto. O roteiro trata com naturalidade os dramas que, na minha época, eram considerados coisas de outro mundo e eu não podia contar pra ninguém pois não seria compreendido. Mesmo que alguns desses dramas ainda persistam em impedir os adolescentes da série de serem eles mesmos, em algum momento você poderá presenciar a libertação de todos esses medos e poderá ver o apoio que os amigos dão uns aos outros, é lindo de ver e é importante demais pois mostrar que a criação de grupos LGBTQIA+ e pautas como educação sexual nas escolas é extremamente importante e necessário. Ainda que seja uma obra de ficção, é fácil entender que o resultado seria benéfico para todos os jovens.

Mesmo nas cenas lindas e significativas, o drama adolecente não deixa de aparecer, o que também é engraçado!

Todas as letras da sigla importam!


O drama acompanha um grupo de adolescentes em que cada membro tem um problema específico para lidar. Sejam familiares, dificuldade de entender a própria sexualidade ou até mesmo a depressão e uso de drogas. Temas clássicos e presentes na vida de qualquer jovem.


Para lidar com tudo isso, o tutor do colégio cria um grupo de apoio aos alunos LGBT por ser onde se concentra a maior quantidade de jovens com problemas psicológicos. Dados comprovados cientificamente. O grupo é composto por Gays, Lésbicas, Bissexuais, Assexuais, filhos de pais gays e alunos aliados da causa que tentam entender outros membros da família para que possam dar suporte a essas pessoas.


A química entre o elenco é algo maravilhoso e realmente convencem que aquelas relações mostradas na série são verdadeiras. Até mesmo os momentos bobos, do tipo que você ta sentado no ônibus aí entra um bando de adolescentes bagunceiros rindo e falando alto como se não tivessem nenhum tipo de problema, parecem reais e irritantes. E é engraçado como, se olhar pra trás, consigo ver em cada personagem semelhanças com pessoas que estudavam comigo quando era adolescente, e olha que já faz uns bons anos que terminei o ensino médio.

A bicha afeminada é o atleta mais popular da escola? Já amo!

Companheirismo acima de tudo!


Não sei como está a juventude hoje em dia pois não convivo com nenhum adolescente, mas se for como a série retrata, então nossa sociedade está evoluindo de maneira satisfatória no que diz respeito ao conhecimento dos jovens. Claro que a série segue um grupo especifico desse público que historicamente sempre foi mais acolhedor e compreensivo mesmo. De qualquer forma, a série tenta ser sempre otimista, mostrando que quando se tem apoio, tudo é mais fácil de lidar.


Durante a história, temos momentos chave que acarretam acontecimentos maiores nessa temporada. Começando pelo sentimento de solidão que persiste em atormentar Chester e Riley, passando pela aceitação da sexualidade e amor livre com os gêmeos Nathan e Naomi e finalizando com o drama "não sabia que estava grávida" em que os amigos ajudam a amiga em questão a ter o bebê e entregá-lo para adoção de forma anônima e segura. Embora seja algo completamente fantasioso em relação às condições da gravidez, afinal estamos falando de um drama juvenil e a comédia é essencial nesse tipo de obra, o final é satisfatório e empoderador.


Ainda que o roteiro incentive as pessoas a serem o que elas devem ser e a enfrentar seus medos, sabemos que essa é uma realidade distante de muitas escolas que tendem a tratar pessoas assim como muita hostilidade. Seja por parte dos alunos ou até mesmo do corpo docente. A mensagem é linda e inclusiva, mas também pode ser perigosa se os jovens não souberem em quem confiar.

A série conta com vários momentos de aquecer o coração!!!

A forma única de contar história!


A forma que os diretores usaram para contar as histórias dos personagens de Genera+ion, não é nenhuma revolução na indústria áudio visual, mas casou muito bem com a narrativa e me deixou encantado. Na maioria dos episódios, os personagens sempre estão juntos. Seja numa festa, num casamento, no shopping ou numa viagem escolar. Durante esses momentos, acompanhamos um a um o desenrolar daquele evento ao mesmo tempo em que os personagens aprendem algo sobre algum drama que estejam passando naquele momento, por que choras, Lúcifer?


Em uma cena você está acompanhando Chester e Nathan fingindo que são um casal, e de repente lá no fundo alguém espirra. A cena continua com Chester e Nathan e depois de terem seu pequeno conflito reduzido, a história volta no tempo e passar a narrar os acontecimentos que levaram aquela pessoa do fundo a espirrar e assim continua até que tenhamos sabido a história de todas as pessoas que estavam naquele lugar. Então prepare-se para ver o mesmo evento acontecendo várias e várias vezes pela perspectiva de cada personagem envolvido naquela situação. É genial e só isso já me fez querer dar a nota máxima pra série!

Rebeldia adolescente para irritar os pais? Temos!

Uma história fechada!


Não sei se foi proposital ou não, mas pelo historico de cancelamentos de series LGBTQIA+ dos serviços de streaming espalhados pelo mundo, podemos pensar que sim. Genera+ion é uma série completa que poderia funcionar como uma minissérie perfeitamente pois não deixa pontas soltas para temporadas futuras, o que significa que o cancelamento da obra não vai impactar na sua experiência em aprecia-la pois todos os conflitos são resolvidos nesses 16 episódios. Então não deixe a noticia do cancelamento influenciar na sua decisão de assistir, pois perderá um oportunidade preciosa de diversão e de conhecimento.


Dito isso, já deixo avisado que algumas coisas podem te deixar um pouco incomodado com a obra. Como as situações absurdamente fantasiosas e propositalmente complacentes e/ou convenientes que o roteiro encontrar para resolver alguns problemas. O que me fez pensar, desde o primeiro episódio, que a série seria cancelada de qualquer forma. O que também é algo triste pois a história tinha muito potencial de desenvolvimento, ainda mais pelo elenco incrível que escalaram, sem contar que "dramas adolescentes" é um tema que pode render muito conteúdo, não é mesmo?


Genra+ion está disponível na HBOmax e conta com 16 episódios. Já assistiu, curtiu? Achou justo o cancelamento? Contra pra gente a sua opinião!


0 comentário