Buscar
  • daianeohare

Análise | Godzilla vs Kong - Me prometeu pancadaria me entregou drama mexicano

O quarto filme do Monsterverse finalmente fez sua estreia na plataforma HBOMAX, Godzilla Vs Kong tinha tudo para ser tão bacana quanto seu antecessor Godzilla II: Rei dos Monstros, mas olha, sinto em lhe dizer que não é não, então nem se empolgue tanto.

Vamos começar do começo, o que se espera de um filme que promete uma batalha épica entre duas das mais famosas kaijus já existentes? No mínimo cenas de batalha de tirar o fôlego, aliás estamos falando de seres gigantescos que mereciam sim cenas igualmente gigantescas, não é que elas não existem, mas é tudo tão descontextualizado que você simplesmente não consegue escolher um lado da batalha, como nos foi vendido pelo marketing do filme, não é mesmo?


O grande problema do filme é que pasmem - ele é um filme de kaiju certo?, então por que cargas d'agua há tanta preocupação em desenvolver o núcleo humano? O roteiro, que de longe é uma maravilha da sétima arte, peca justamente aí, em colocar um núcleo humano e se preocupar em colocar uma carga dramática em personagens que são completamente desnecessários. Pra variar os humanos estragam todo o rolê.


A narrativa me pareceu que contava duas histórias diferentes, de um lado a gente tinha toda mega tecnologia desenvolvida pela Apex - inclusive um Godzilla meca - e seus dramas que envolvem um núcleo humano completamente sem sal, com teorias conspiratórias e tudo que envolve o Godzilla e do outro lado da história temos Kong e sua galera que viajam ao Centro da Terra - uma clara homenagem a Jules Verne - e mais um núcleo humano dispensável, com uma única exceção - Jia (Kaylee Hottle) que serve como um elo de ligação e comunicação do Kong, no mais, esse excesso de desenvolvimento dos personagens humanos deixou de lado justamente o que mais queríamos ver, os bichões saindo na porrada.


Em questão de geografia meu cérebro deu uma bugada, galera sai da Flórida e vai parar em Hong Kong, o Kong vai da ilha da Caveira pra Antártica num passe de mágica, depois centro da Terra e de novo em Hong Kong - que tem um dos visuais mais bacanas do filme, cheio de luzes em neon acaba sendo o palco da luta final entre as kaijus.



Tudo é ruim no filme? Nem tudo! Mesmo com o roteiro bem bagunçado o filme vale pela diversão e pelas poucas cenas de luta que ele entrega, poderia ser melhor? Com certeza, mas não é de todo ruim não, dá pra dar aquela divertida no final de semana.


No mais, Godzilla vs Kong acaba colocando os monstros que deveriam ser protagonistas como panos de fundo para o desenvolvimento de humanos sem utilidade alguma para o andar da história.




Godzilla vs Kong está disponível na HBOMAX.



0 comentário