Buscar
  • @_KaioMoura

Análise | Hollywood

Atualizado: 26 de out. de 2020

A nova série de Ryan Murphy na Netflix, reimagina uma Hollywood no pós guerra e a luta de aspirantes a atores e cineastas por um lugar entre as estrelas. Cada um dos protagonistas precisam superar desafios que hoje já são bem difíceis, imagina na década de 40.


Com uma trama muito envolvente, Ryan Murphy e Ian Brennan, mostra como seria Hollywood se negros, gays, orientais e mulheres tivessem a mesmas oportunidades na indústria do cinema. A história principal se desenvolve entre a vida de de quatro personagens fictícios, os atores Camille Washington (Laura Harrier) e Jack Castello (David Corenswet), o diretor Raymond Ainsley (Darren Criss) e o roteirista Archie Coleman (Jeremy Pope), que não deixam a desejar em relação a uma boa construção de personagem.


Além disso, um dos fatos que deixa Hollywood ainda mais interessante, principalmente pardeos a cinema, são os personagens baseados em pessoas reais. Apesar das referências as suas histórias desses personagens tiveram alterações em prol de um roteiro mais dramático.



Mas quem é de 'verdade' nessa história?


1. ROCK HUDSON (JAKE PICKING)

Na série Rock é retratado com um cara sensível e que tenta de tudo para emplacar uma carreira como galã de cinema. Esconder a sua sexualidade se torna uma luta diária, já que sabe que gays não têm oportunidades na indústria. A carreira de Rock começa a decolar quando é descoberto pelo agente Henry Willson, porém o preço que ele paga é bem alto. Além da exploração, ele sofre abusos físico e psicológicos de seu agente.



2. HENRY WILLSON (JIM PARSONS)


O incível Jim Parsons (nosso eterno Sheldon Cooper), dá vida ao agente de talentos Henry Wilson em uma atuação digna de Emmy. Wilson era famoso por agenciar grandes galãs do cinema, além de Rock Hudson, também foi responsável pela carreira de Troy Donahue, Ty Hardin, Tab Hunter, entre outros. Ele era conhecido por obrigar os atores a terem relações sexuais com ele em troca de papéis no cinema e tv.



3. ANNA MAY WONG (MICHELLE KRUSIEC)


Um das histórias mais comoventes da série é a da atriz Anna May, principalmente por sua carreira desafiadora na vida real. A atriz passou maus bocados pra tentar provar o seu valor e quebrar os esteriótipos de raça de Hollywood. Ryan Murphy tenta dar o final feliz que a personagem tanto mereceu e faz isso através do aspirante a diretor Raymond Ainsley.


Entre outros personagens baseados em pessoas reias, se destacam a atriz Hattie McDaniel (Queen Latifah), Eleanor Roosevelt (Harriet Sansom Harris), Noël Coward (Billy Boyd) e Peg Entwiste, que teve a sua história contada através do filme desenvolvido pelos personagens da série.



Uma minissérie apaixonante do começo ao fim



Murphy e Brennan conseguem entregar uma temporada inteira de muita emoção e uma história envolvente que não te deixa sair da frente da tela. Cada um dos personagens, até os coadjuvantes, passa uma emoção e uma importância pra história que preenche cada minuto da trama.


O auge da emoção é alcançado durante a premiação do Oscar no último episódio. E como todo projeto de Murphy, por mais dramática e/ou assustadora que possa ser, tem um final com ar esperançoso de "tudo ficará bem".


Se você já assistiu, comenta aqui enbaixo o que achou da série, se não viu ainda, tá esperando o quê pra essa maratona? Pra aumentar mais ainda a sua vontade, confira abaixo o trailer da produção "Hollywoodiana".




0 comentário