Buscar
  • @luigienricky

Análise | Lúcifer - Temporada 4

Atualizado: 27 de out. de 2020

Com a temporada cinco dando às caras daqui a pouco na Dona Netflix, vim relembrar o que aconteceu e o que achamos da temporada de estréia de Lúcifer na casa nova!!!

Cloe continuando podendo sumir junto com o Dan e deixar a gente só com a filha deles!


Um pouco menos mais do mesmo mas ainda assim mais do mesmo!


Achei uma temporada muito boa e os novos personagens são fáceis de gostar/odiar, mais alguém achou a personalidade da Eva parecida com a Rapunzel ou tô ficando crazy?

A reduzida no número de episódio ajudou a trama ficar coesa e fluida e bem diferente daquela enrolação sem sentido da temporada três.


Por falar na temporada passada, todas as pontas soltas que foram ignoradas nos episódios finais finalmente foram relembradas. Em relação ao elenco fixo, todo mundo tem seu momento e é fácil continuar amando todo mundo (menos o Dan e a Cloe que deveriam se jogar de um prédio pois são muito chatos - Deixa só a Trixie).


A Netflix deu uma ousada maravilhosa e agora podemos finalmente ver a tão sonhada bunda de Tom Ellis tão bem falada. A quem possa interessar, também pra ver o popozão da Ella. Ponto positivo para uma série que fala do Diabo! Mas ainda quero ver o Lúcifer num bacanal cheio de homens, to cansado dele só insinuar isso e eu não ver nada até agora!!!


Questões sociais tiveram mais importância também e eles abordam do assunto com mais peso e responsabilidade, impossível não se emocionar em um certo episódio com o Amenadiel.


Coisa boas coisas não boas


Achei que fosse odiar a Eva mas ela se tornou minha protegida!


Nem tudo são flores, tirando Dan e Cloe que parecem existir só pra despertar o nosso ódio por eles, algumas coisas que irritavam muito nas temporadas anteriores continuam incomodando, como por exemplo:


  1. O assassino sempre é a primeira pessoa que aparece;

  2. Os crimes sempre são resolvidos no mesmo episódio o que deixa esse enredo apenas como uma subtrama que normalmente é beeeeeem raso;

  3. Os crimes sempre tem alguma relação com algum dilema moral do Lúcifer. No começo era aceitável essa relação, mas já tá na hora do personagem evoluir e começar a aprender com os outros personagens da série, coisa que já acontece com a Mazikeen e o Amenadiel por exemplo.


Por fim, a série termina com um gancho meio forçado (que os fãs esperaram por 4 temporadas) pra justificar caso a Netflix resolva não renovar, mas com nada surpreendente.

Mesmo assim, é uma série fácil de gostar e não exige muito esforço e inteligência pra entender a trama. É entretenimento e fanservise puro!


0 comentário