Buscar
  • @luigienricky

Análise | Loki - O Multiverso Cinematográfico da Marvel faz sua Estreia

Atualizado: 20 de jul. de 2021

Depois de grandes sucessos como WandaVision e Falcão e o Soldado Invernal, a Dona Marvel tinha um grande trabalho pela frente para garantir que o sucesso e excelência dessas histórias fossem honradas na série do Deus da Trapaça. Com a promessa de apresentar novos personagens importantes e expandir o Universo criado até agora, Loki chegou cheio de conceitos mas com um ritmo muito lento, mesmo com apenas seis episódios!


É conceito que você queria? Então toma!


Acho que todos concordam que Loki é um personagem muito complexo, e as melhores batalhas que trava, dentro e fora do cinema, são as mentais, sempre lidando com os medos, angustias e inseguranças dos seus rivais. Levando em consideração esse lado do Deus da Trapaça é que a série caminha, então não espere grandes cenas de luta com batalhas épicas, pelo contrário, o roteiro foca muito nos diálogos e decisões tomadas pelo protagonista.


Nos primeiros episódios da temporada, somos bombardeados com inúmeras informações sobre onde Loki está, quem são seus inimigos, por que ele está ali, como funciona o multiverso e porque ele é uma ameaça. Tudo isso é apresentado em looooongas cenas com loooongos diálogos e se você não estiver muito imerso na narrativa, pode até dar um soninho. Isso não significa que são sequencias ruins, pelo contrário, os diálogos sobre ter o seu lugar são até bem profundos se comparados aos filmes em que Loki esteve mas se encaixa bem à narrativa das séries antecessoras.

Tranquilidade no olhar de quem teve a série renovada!

Novos Personagens


Loki teve um desenvolvimento que incomodou mais que agradou os fãs mais fervorosos. Passando pela típica narrativa da Jornada do Herói e se tornando uma pessoa melhor, o que convenhamos, não combina muito com o personagem e nem é o que queríamos ver. Mas o que se destaca nessa narrativa são os novos personagens que devem integrar definitivamente o elenco dessa nova fase da Marvel. E nós falaremos dos mais importantes.


  • Ravonna

A diretora da TVA começa a série de forma bem discreta e você até acredita que ela possa ter boas intenções. Conforme a história avança passamos a duvidar do seu caráter até que descobrimos que ela é uma espécie de laranja do grande vilão da série. Embora possa parecer pouca coisa, Ravonna tem um papel muito importante nos quadrinhos por ser o par romântico daquele que parece ser o próximo grande vilão da Marvel, cargo antes ocupado por Thanos. Nos quadrinhos, em determinado momento, Ravonna se cansa e decide caçar todas as versões do seu antigo amor.


  • Aquele que Permanece/Kang

Para os menos familiarizados com quadrinhos, a participação do personagem conhecido como Aquele que Permanece pode até ter parecido uma decepção, mesmo que tenha tido uma função importante para o desenvolvimento de Loki e Sylvie, mas na verdade, ele é uma variante de um grande vilão que fará sua estreia definitiva em Homem Formiga e a Vespa: Quantumania. Conhecido como Kang, ele viaja por todas as realidades com a intenção de ser o governante supremo de todo o multiverso, então podem aguardar que ele voltará e causará muito no Universo Marvel.


  • Kid Loki

Apresentado como uma variante do nosso Loki, essa versão jovem do Deus da Trapaça já se provou ser muito poderoso pois conseguiu derrotar o irmão e por isso foi podado pela TVA. Acontece que o personagem já fez parte dos Jovens Vingadores e até serviu de casca para o verdadeiro Loki que passou a possuir o menino para fazer suas maldades. Imagina o nosso Loki retornando para se vingar da Sylvie em posse do corpo de uma de suas formas mais poderosas? A volta do Kid Loki é praticamente certa uma vez que quase todos os membros dos Jovens Vingadores já foram apresentados ou anunciados, agora é só esperar!


  • Sylvie

Apresentada como uma variante do Loki, desde que apareceu Sylvie foi a maior responsável por teorias da conspiração tentando descobrir se ela é realmente uma variante ou uma outra importante personagem dos quadrinhos conhecida como Encantor. Isso iremos descobrir mais pra frente, mas é certo que a personagem voltará e passará a tomar as decisões que esperaríamos do redimido Loki. Sylvie tomou para si toda a complexidade e ambiguidade da sua contraparte e tomou decisões importantes que devem ser essenciais para o futuro das histórias da Marvel, seja nos cinemas ou no streaming.


Faltou Pouco para chegar lá


De modo geral, Loki não é uma série ruim, muito pelo contrário, é uma história importante de origem, só que dessa vez, não é sobre a origem de um personagem, embora tenhamos conhecido vários, mas sim sobre a origem do Multiverso que será o tema principal das próximas fases da Marvel. Por si só, esse já seria um ponto super positivo para a série se não fossem os já citados diálogos intermináveis.


Outra coisa que ficou um pouco abaixo da média foram os efeitos visuais e algumas tomadas de decisão do roteiro para forçar goela abaixo o relacionamento de Loki e Sylvie, como o fato de terem conseguido derrotar o grande monstro de fumaça apenas com o poder da amizade. Ponto quase negativo (também) por a Marvel finamente se comprometer e falar sobre a sexualidade do protagonista e logo depois engatar um pseudo-relacionamento entre as partes por ser o caminho mais fácil de trabalhar no futuro. (Caga ou sai da moita, Kevinho Feige).

Eu sou Bi. Eu também! Então vamo se pegá, carai!

Loki é uma série essencial para o futuro da Marvel, acerta mais do que erra, mas ainda faltou aquele tchan pra empolgar de vez. Felizmente a série terá mais temporadas e poderá arrumar essas pequenas coisinhas que nem de longe estragam a sua experiência!


A série já está completa no Disney Plus!


0 comentário