Buscar
  • @luigienricky

Análise | Mortal Kombat - Um verdadeiro insulto aos fãs e à Franquia

Se você perguntar para um fã de games qual a opinião dele sobre adaptações cinematográficas para suas franquia preferidas, é quase certo que a resposta final seja: MEDO! É muito fácil entender por que esse sentimento é tão forte para os gamers dado à tragédia que foram adaptações anteriores como King of Fighters, Street Fighter, Super Mario Bros entre tantos outros filmes que fazem qualquer fã chorar sangue, e embora sejamos agraciados com ótimas adaptações em casos raríssimos como Detetive Pikachu, é difícil afastar a incerteza e o medo de ver nossa franquia do coração sendo ridicularizada na tela gigante do cinema. Infelizmente, esse é o caso de Mortal Kombat.

Unica coisa um pouco divertida é a história de Scorpion e a luta inicial com Sub-Zero

"História"


Uma das coisas menos negativas (não quer dizer que é bom) dessa nova adaptação de Mortal Kombat é que a história é muito parecido com a vista nas versões mais recentes dos jogos, ainda que tenham modificações significativas e sem lógica. Na nova história, o mundo de Outworld já venceu nove torneios do Mortal Kombat e precisa vencer pela decima vez para que possa dominar todos os reinos e transforma-los em um. Acontece que o safadinho do Shang Tsung decide que não quer esperar pelo torneio coisa nenhuma e resolve levar seus amigos para a Terra para que possam dar fim às vidas de todos os campeões escolhidos antes do torneio começar oficialmente. Até aí, a história é completamente igual, agora que a coisa começa a desandar desastrosamente.


Na Terra, os representantes do Mortal Kombat são Liu Kang, Jax, Kung Lago, Kano (WTF???) e... Cole. Quem é Cole? Exatamente!!! Enquanto isso, Sonya passa a ser apenas uma intrometida que não aceita o fato de ser subestimada como guerreira uma vez que alguém totalmente sem escrúpulos como Kano ocupa a última vaga. Todos esses escolhidos possuem a "Marca do Dragão" como se fosse de nascença e mais tarde descobrimos pela boca de Raiden que essa marca pode ser roubada e que ela é a responsável por despertar os poderes mágicos de cada combatente. Um verdadeiro chorume!

Poderzinho? Só se você tiver a marquinha!

Personagens e Caracterização!


A maioria dos personagens do filme é muito bem caracterizado e pode até ser que você curta as referências usadas em cada um. Liu Kang, Sonya, Jax, Scorpion, Sub-Zero, Kano, Mileena e Shang Tsung estão muito bem caracterizados, sendo que Kung Lao é o melhor de todos, seja pela aparência física, demonstração dos seus poderes ou personalidade do personagem, e não é por ele ser meu personagem favorito nos games, até por que, o risco de eu não gostar seria bem maior.


Por outro lado, alguns personagens foram beeem descaracterizados, como Raiden, Nitara, Reiko e Kabal. Este último é um verdadeiro insulto a tudo que o personagem representa e toda sua história de redenção que foi deixada de lado tornando-o apenas um abestado grotesco e burro.


Apesar dos pesares, nada supera a introdução do novo personagem que deveria ser o grande plot twist do filme mas que no final das contas, todos já sabiam sua verdadeira identidade. Cole foi escolhido como protagonista do filme (só deus sabe por que) para levar o espectador através da narrativa enquanto Sonya e Jax recrutam os heróis para o grande torneio. Acontece que o personagem é um verdadeiro perdedor, só apanha, o seu desenvolvimento não leva a lugar nenhum, ele é totalmente desnecessário, sem carisma, com uma motivação de merd* e absolutamente sem nenhum tipo de aprofundamento.

Adorei! Nota Dois!

Defeitos Especiais


Para fechar com chave de ouro, vamos à CAFONAGEM dos "efeitos especiais". Desde os gelo de plástico do Sub-Zero até os "poderzinhos" dos defensores da Terra e passando pelo poder especial do Cole que só ganha uma luta após despertar seu poder de roupinha super poderosa, tudo é mal feito, feio, e da impressão que estamos vendo um filme antigo feito por um estúdio baixa renda.


A única coreografia de luta realmente boa é a luta inicial entre Scorpion e Sub-Zero antes de se tornarem Scorpion e Sub-Zero, o que significa que o impacto não foi o mesmo. Infelizmente, depois de ganharem seus poderes e se tornarem quem são, a luta dos dois é a coisa mais feia do mundo e para piorar ainda colocam o protagonista panguá no meio só pra ele apanhar mais.


Mesmo enchendo o filme de referências e falas icônicas dos games (muitas introduzidas de forma aleatória e sem sentido) o filme não chega nem perto de seus antecessores (que também eram muito ruins) nem na história e nem com seus personagens. Se você pretende assinar HBO Max só pra ver esse filme, é melhor esperar passar na televisão pois é, sem dúvidas, a pior adaptação de um game que já vi na vida!

Só não dou ZERO por que realmente curti o Kung Lao

0 comentário