Buscar
  • Carolina Mezalira

Análise | Os Irregulares de Baker Street - Será a releitura perfeita de Sherlock Holmes?

O famoso detetive inglês Sherlock Holmes já foi adaptado para as telinhas inúmeras vezes, seja para a série protagonizada por Benedict Cumberbatch, ou, o mais recente filme da patroa dos streamings, Enola Homes, focado na irmã mais nova do nosso querido investigador e estrelado por Millie Bobby Brown.


Desta vez, a mais nova produção da dona Netflix se chama Os irregulares de Baker Street. Esse seriado é para quem gosta de uma boa trama adolescente (que é meu forte), misturada com suspense e uma pitada clássica de Sherlock Holmes.


Se liguem no trailer e em seguida na análise para saber se vale a pena, bora lá?




Sinopse

A trama se passa no século 19 em Londres. Tudo começa quando Jonh Watson (Royce Pierreson) encontra um grupo de jovens que moram em um porão na rua Baker Street, liderados por Bea (Thaddea Graham), sua irmã Jessie (Darci Shaw) e seus amigos, Spike (McKell David) e Billy (Jojo Macari). Watson oferece dinheiro ao grupo em troca de desvendar os mistérios que estão assombrando a cidade.


O seriado não é só sobre investigações, também mostra como o grupo é unido e como lidam com as frustrações da idade, desilusões amorosas, primeiros amores, além de, é claro, do trabalho difícil de desvendar os mistérios e colocar fim aos acontecimentos estranhos que estão assombrando a cidade.


Nota 10 para a produção!!

Os Irregulares de Baker Street é um seriado sobre assuntos sobrenaturais, então os efeitos visuais são algo primordial para a trama se desenvolver. E a série está de parabéns! Os efeitos estão lindíssimos e melhor do que qualquer coisa já vista no streaming.


Além disso, como a obra se passa em Londres no Século 19, os produtores foram bem sucedidos ao fazer com que os telespectadores viajassem até o passado ao assistir a série. Desde os figurinos até os cenários, tudo contribui para que o público se sinta parte da história.


Personagens que mereciam mais atenção!


Bea, a líder do grupo, é uma personagem que tem muito carisma, fazendo o publico se apaixonar por ela desde o início. Os telespectadores, mesmo que através de alguns flashbacks, sabem um pouco mais sobre o seu passado com a sua irmã, Jessie, e o motivo porque Billy é tão revoltado.


Porém, um ponto que o seriado deixou a desejar é não ter se aprofundado no passado de Spike, principalmente por ele ser o único personagem negro do grupo e estarmos falando tanto de representatividade.


Não menos importante, temos Leo (Harrison Osterfield), príncipe da Inglaterra, que finge ser quem não é para se juntar a turma e, dessa forma, se sentir aceito. Não sabemos nada a respeito do passado dele, apenas que ele se apaixona perdidamente por Bea e possui uma doença na perna. Queremos saber mais!

Como eu shippo esse casal!

Watson e Sherlock Holmes (Henry Lloyd-Hughes) são personagens secundários, mas teria sido interessante se a narrativa explorasse mais aspectos de seus passados, visto que continuam sendo importantes para a história.


É assustadora?


Não é uma série de terror, mas, por ser do gênero fantasia e mistério, o que não faltam são alguns sustos no decorrer da trama. Porém, mesmo para os medrosos, vale a pena o esforço!


Vai ter segunda temporada?


A Netflix ainda não renovou, mas a série tem um desfecho que não deixa pontas soltas para uma possível continuação. Porém, nada é impossível para a patroa (Netflix nunca te pedi nada) e, quem sabe, a segunda temporada não vem aí cheia de novos mistérios!


Os Irregulares de Baker Street é uma série para quem gosta de tramas adolescentes com uma pitada de suspense e monstros sobrenaturais. Pode ser facilmente maratonada em um final de semana!




Vocês já assistiram Os Irregulares de Baker Street? Ficaram com medo em alguma parte? Se emocionaram? Não se esqueçam de seguir o Fendageek nas redes sociais para ficarem por dentro das novidades !

0 comentário