Buscar
  • Carolina Mezalira

Análise | Outer Banks: 2 temporada – Muita pancada, ação, romance e uma chuva de amizade!

O ano de 2020 foi o período que estreou inúmeras produções por conta da pandemia, as pessoas não podiam sair e por isso o único divertimento era assistir filmes e séries em seus streamings favoritos, entre eles tivemos o lançamento do sucesso Outer Banks da Dona Netflix, o seriado rapidamente conquistou fãs do mundo todo por trazer uma narrativa eletrizante que mistura o bom e velho drama adolescente com uma misteriosa caça ao tesouro. Logo ela foi renovada para o seu segundo ano, mostrando que sempre pode ser melhor, entregando uma história divertida e emocionante.

Afinal como continua a trama dos pongues! (Cuidado pode conter spoiler)


Após o final da primeira temporada Jonh B (Chase Stokes) e Sarah (Madelyn Cline) são dados como mortos, mas eles continuam foragidos. Enquanto isso, em Outer Banks Pope (Jonathan Daviss), JJ (Rudy Pankow) e Kiara (Madison Bailey) enfrentam o luto e ao mesmo tempo tentam limpar o nome de Jonh B (Stokes), já que na temporada anterior ele foi acusado de ter atirado na Sheriff Peterkin (Adina Porter) e não podemos esquecer que a busca pelo ouro roubado por Ward Cameron (Charles Esten) continua a todo vapor, levando o casal até Bahamas.

Mas além da premissa principal da temporada, são abordados assuntos sérios como: drogas, luto, desigualdade social, mas tudo mostrado da forma mais sutil possível e a amizade entre os pongues são o ponto alto desta vez (Arrasou Netflix a série ficou melhor ainda!).


A temporada mudou o plano de fundo!


Como podemos ver a temporada mudou de direção, antes o foco era a caça ao tesouro, mas quem tomou a liderança no seu segundo ano foi a rivalidade de Jonh B e o pai de Sarah, Ward Cameron, contudo, ele ainda precisa lidar com a pressão de proteger seu filho Rafe (Drew Starkew) responsável pelo assassinato da Sheriff Peterkin (Porter).


A amizade sempre é colocada em primeiro lugar!



Sempre dizem que a amizade é o bem mais precioso que uma pessoa pode ter e em Outer Banks os Pogues faz jus a essa frase, ou seja, o grupo de amigos tem um ao outro como uma família sempre se ajudando e apoiando quem mais precisa.


Uma das cenas que mais me chamou a atenção foi o encontro do grupo, foi um momento conturbado, porém ao mesmo tempo divertido e emocionante, confesso dei uma lacrimejada de leve, com esse encontro inesperado é possível perceber a razão para amizade do grupo ter ser tornado um dos elementos essenciais para o sucesso da produção.


Outros personagens são desenvolvidos!


Estamos acostumados sempre ter os protagonistas como o foco da produção e os amigos deles que muitas vezes não tem a melhor importância, mas nos novos episódios foi interessante podermos entender mais sobre a relação de Kiara (Madison Bailey) com seus pais e sobre o passado da família de Pope (Jonathan Daviss) envolvendo mais uma caça ao tesouro, podemos dizer que eles cresceram muito no decorrer da temporada.


Mas em contrapartida, JJ (Rudy Pankow) poderia ter sido mais bem aproveitando se tratando de um personagem complexo e com grande espaço para receber o desenvolvimento esperado, acredito que numa possível temporada podemos esperar uma maior relevância dele.


Que elenco, meu deus!



Todos do elenco são perfeitos em cenas juntos, mas quero tirar o chapéu para os astros Chase Stokes e Madelyn Cline, casal na ficção e vida real, eles tem uma química maravilhosa ao mesmo tempo que emocionam o público, conseguem entregar drama e transmitir cenas de tirar o fôlego.


A segunda temporada de Outer Banks cumpre bem seu objetivo de entreter entregando cenas de mistério e ação, ela consegue ser mais organizada do que o ano anterior, recomendo para todos verem num momento de descontração. vocês vão se divertir, emocionar e não conseguir tirar os olhos da tela nas cenas de ação.


Já assistiram Outer Banks? Gostaram? Não esqueçam de seguirem o Fendageek nas redes sociais!

0 comentário