Buscar
  • Giulia K. Rossi

Análise | Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre - Foi o adeus perfeito?

Sinto dizer, mas é isso mesmo, pessoal: nossa amada trilogia de Para Todos os Garotos chegou ao fim! O último filme, intitulado Agora e Para Sempre, lançou na Netflix (dia 12) e deixou os fãs de Lara Jean e Peter Kavinsky em lágrimas (eu sei, a verdade dói!). Porém, apesar do doce e amargo sabor da despedida, será que o casal teve o final que merecia?


A comédia romântica adolescente contou com a direção de Michael Fimognari e, assim como os dois primeiros filmes da franquia, foi baseada na série de livros de mesmo nome, escritos por Jenny Han. Fazer uma boa adaptação não é uma tarefa fácil, mas... Por sorte, Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre conseguiu captar muito bem a essência das obras!

Olha a química perfeita desses dois!

Queridos, leitores...


A trama segue Lara Jean (Lana Condor) enquanto ela lida com escolhas importantes, agora que está prestes a se formar. Ela e Peter (Noah Centineo) já têm todo o seu futuro planejado - só falta ela ser aceita na Universidade de Stanford para ficar ao lado do mozão. Porém, a garota percebe que nem tudo na vida sai conforme o planejado...


Para o choque de todos (mas de nenhum espectador), Lara Jean não é aceita na faculdade dos sonhos, e tudo parece desmoronar. O que leva a garota a mais uma grande mudança – em uma viagem, ela se apaixona pela cidade de Nova York (quem não?!) e, de repente, se vê atraída pela ideia de estudar ali – há exatos 4121.4 km. de distância de Peter. Escolhas e mais escolhas!


Em uma narrativa jovem e inocente, acompanhamos as inseguranças de Lara Jean, assim como o seu relacionamento com a família, amigos e, é claro, com seu namorado perfeito. Não é nenhuma história inovadora e nem cheia de reviravoltas. Muito pelo contrário. A trama é simples e segue sem medo o mesmo ritmo calmo do começo ao fim. Mas, nesse caso, funciona! Mais ou menos como quando lemos os livros de Han, o tom da obra cria um sentimento nostálgico e apaixonante. Bônus de uma trilha sonora e cenografia de tirar o fôlego!


Começo, meio (?) e fim


Entretanto, algumas coisas deixaram a desejar. Para quem acompanhou a trilogia do início ao fim, pode acabar se perguntando “mas para que exatamente serviu aquele segundo filme?”. E a resposta é clara: nada!


Para Todos os Garotos: P.S. Ainda Amo Você se torna completamente obsoleto para a narrativa, visto que nenhum dos eventos ou personagens da produção foram, de fato, mencionados (com exceção do relacionamento entre o pai e a vizinha). Cadê o querido John Ambrose (Jordan Fisher)? E onde foi parar Stormy (Holland Taylor), a velha mais jovem que você vai encontrar? (especialmente para os fãs do livro, a retirada dessa personagem pesa demais no coração).


Tudo parece somente um buraco na estrada do romance de Lara Jean e Peter e, em Agora e Para Sempre, o casal parece mais unido e apaixonado do que nunca. Esse fato não necessariamente prejudica a trama do terceiro filme, que é inclusive muito bem direcionada nas histórias e mensagens que quer contar, porém, enfraquece a trilogia como um todo.


Felizes para sempre?


Contudo, estamos aqui para saber se Lara Jean teve o seu final digno de conto de fadas, não é mesmo? Primeiramente, é interessante ver como todos os personagens tiveram um desenvolvimento positivo ao longo da saga – até mesmo Gen (Emilija Baranac) deixa para trás o seu papel de antagonista (chega de rixa entre garotas, muito obrigada!).


E, apesar da previsível história principal, Agora e Para Sempre também traz tramas secundárias relevantes - a relação de Peter com o seu pai (Henry Thomas), o casamento do senhor Covey (John Corbett) com a simpática Senhora Rothschild (Sarayu Rao), a temida e esperada “primeira vez” e, não menos importante, o desenvolvimento da amizade entre Lara Jean e sua divertida melhor amiga, Chris (Madeleine Arthur). Mesmo as irmãs Covey (Anna Cathcart e Janel Parrish), que não foram o destaque da vez, conseguiram brilhar nos momentos que tiveram.

Kitty, continue sendo tão Kitty!

Não só isso, mas o filme consegue ser uma doce comédia romântica - com vários momentos que te fazem sorrir sem nem perceber e cheio de referências incríveis! - ao mesmo tempo em que trata de assuntos importantes, que falam diretamente com o público jovem. Através das escolhas feitas por Peter e Lara Jean, a obra tem uma conversa sincera com a audiência sobre amadurecimento, independência, e os riscos e maravilhas de deixar sua zona de conforto. Fora o típico problema de “nenhum adolescente sabe se comunicar nos filmes!”, a produção traz personagens com reações e diálogos mais maduros, um super ponto positivo.


Nunca é fácil dizer adeus, mas pelo menos a honestidade, paciência e clareza de Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre, facilitam o processo de despedida. No final das contas, nós queremos ver os personagens que amamos felizes, e tudo isso combinado em um fim “fechadinho”, pareceu uma grande carta de amor para os fãs!



0 comentário