Buscar
  • @tonfabricio

Análise | Pose - Temporada 2

Cada vez mais produções com temáticas LGBTQ estão tomando espaço. O que parecia impossível há alguns anos, hoje somos surpreendidos com uma drag queens com um próprio programa de tv, cantores transexuais ou participantes de reality shows, homossexuais como protagonistas de filmes, dentre outros.

Não diferente disso, somos agraciados com a série Pose, do criativo Ryan Murphy. Uma trama que aborda principalmente a vida de mulheres trans negras e latinas participantes de ballrooms em Nova York em meados dos anos 80. Apesar do seriado estar rumo a terceira temporada, somente agora a segunda parte chegou na Netflix. Bora saber o que achamos?


O que esperar?


Pose continua arrasando!! Trazendo um elenco talentosíssimo e com histórias ainda envolventes, embora algumas mudanças tenham acontecido. Blanca (MJ Rodriguez - Saturday Church), como uma ótima mãe, guiou pessoas sem rumo para ótimos caminhos, onde o triunfo na vida deles começa a aparecer na nova temporada.

Além disso, Pose traz novamente trazendo assuntos a serem discutidos, como AIDS, fetiches por transexuais e transfobia / homofobia. O seriado é essencial na vida de todos, principalmente para o público LGBTQ, para conhecermos um pouco mais da luta dessa minoria que ainda persiste.


Ryan Murphy sendo Ryan Murphy


Apesar de criativo, Ryan tem uma certa fama negativa de se perder em produções, tornando-as confusas em algum momento. Foi assim em Glee, American Horror Story e The Policitian, por exemplo.


Quando Murphy se perde, dá uma impressão que foi um improviso de péssimo gosto ou descaso, não sei ao certo... De qualquer forma, toda a perfeição da primeira temporada, deixa um pouco a desejar na segunda parte dessa trama devido um ou outro episódio onde a história se perde um pouco.

Existem episódios onde vocês podem se perguntar a razão daquilo ou se era necessário introduzirem no seriado e, sinceramente? Foram momentos inúteis. São cenas aleatórias e com falta de emoção. Momentos cansativos de ver e de assimilar. Eu confesso temer pelas próximas temporadas. De qualquer maneira, o lado positivo se sobressai, valendo muito a pena acompanhar a Casa Evangelista.


Corram para a Netflix maratonar!!!


E vocês gostaram mais da primeira ou segunda temporada?? Qual o / a personagem preferido de vocês?? Comentem!!

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo