Buscar
  • Carolina Mezalira

Análise | Rebeldes: 2ª temporada – Tenta ser mais madura que o primeiro ano, mas não chega lá!

Com certeza Rebeldes tem uma super legião de fãs ao redor do mundo, garantindo ao público várias produções que se passam no mesmo universo da novela mexicana de sucesso.


Os telespectadores que cresceram acompanhando Roberta (Dulce Maria) e sua turma ficaram um tanto apreensivos quando a Netflix decidiu pegar esse fenômeno mundial e transformar em um reboot se passando no Elite Way School. Contudo, a produção traz novos personagens e uma trama recheada de confusões e muita música, incluindo tanto antigas canções quanto novas.


A primeira temporada da série chegou nas telinhas no começo do ano e, devido ao seu enorme sucesso, após sete meses já temos o segundo ano, que promete muito mais drama, abordando desde sérios problemas mentais até jovens que precisam lidar com a pressão de seus pais. Tudo isso regado com muita música!


Sinopse...


Nos novos episódios, Jena (Azul Guaita), Esteban (Sergio Mayer Mori), Dixon (Jerónimo Cantillo), MJ (Andrea Chaparro), Andrea (Lizeth Selene) e Luka (Franco Masini) seguem se esforçando para se tornarem grandes revelações na área musical. Enquanto isso, é nítido que a amizade entre Jena e MJ está estremecida desde de que MJ traiu os amigos indo para o lado sombrio da força. Brincadeiras à parte, a garota na temporada anterior fez um dueto com Sebas, dono da seita do EWS, o que acarretou na discussão do grupo.


Além do grupo principal, temos novas adições a trama: Ilsé (Mariané Cartas), Okane (Saak) e por último mais não menos importante entra em ação o novo professor Gus Bauman (Alaíde Solorzano). Esses personagens chegaram no EWS para causar muita discórdia entre os veteranos e mexer com as emoções, principalmente de Esteban e Luka.


Bauman é um produtor musical de renome e o atual professor do Elite Way School, ele representa o oposto do antigo corpo discente do colégio, provocando os alunos a serem estrelas, e não artistas. Com isso, ele propõe aos alunos vários exercícios que os levam a seus extremos, abdicando daquilo que realmente acreditam. Para piorar, eles precisam fazer de tudo para bombar nas redes sociais e serem relevantes a todo custo, passando até por situações de abusos de drogas para assim conseguir atingir sua performance máxima.


Pura nostalgia!


Certamente o seriado é feito para os mais jovens, apesar de ter algumas referências da novela, que farão os fãs se emocionarem facilmente com as cenas apresentadas. Porém, é nítido que aqui eles simplesmente pegaram o mesmo cenário e transformaram em uma nova história.


Os produtores entenderam que não precisam da novela antecessora para que o reboot funcione, pois, independentemente de tudo, ele consegue andar com suas próprias pernas, apenas mencionando de leve a obra original.


E o que aconteceu na última temporada?


Na temporada anterior, Sebas era o idealizador da Seita, uma entidade que perturbava os alunos menos favorecidos, como é o caso de Esteban. Porém, os novos episódios não fizeram menção nenhuma a tal acontecimento, simplesmente perdoaram o garoto e ficou por isso mesmo.


Além disso, no decorrer dos episódios descobrimos que Esteban e Luka são irmãos, e no início da segunda temporada eles já se aceitam como parentes sem nenhum julgamento, ainda que antes eles só faltavam matar um ao outro. Esses acontecimentos eram importantes o seriado, mas parece que agora eles não fazem o menor sentido.


A segunda temporada de Rebeldes tenta ser madura igual algumas séries teens atuais, mas ela falha no amadurecimento, pois os jovens apenas estão fazendo besteiras sem focar na responsabilidade de tal ato. Por fim, os novos episódios servem só para um momento de desconcentração, principalmente para aqueles que gostam de cenas musicais.


Porém, nada é perdido, visto que um novo ano está à caminho e talvez esses erros sejam corrigidos.

E aí, gostaram de Rebeldes? Sigam o Fendageek nas redes sociais para ficarem por dentro das novidades!


0 comentário