Buscar
  • @luigienricky

Análise | The Alienist: Angel of Darkness - Aprecie com Moderação!!!

Ta pra nascer quem não se interessa por uma boa história de investigação, afinal, nascemos assistindo séries como Scooby Doo ou para os mais velhinhos, Tutubarão, As Panterinhas, Capitão Caverna entre outros cujo objetivo era sempre pegar o bandido.


Embora a segunda temporada de The Alienist também nade por essas águas misteriosas, os temas abordados sempre são beeeeem diferentes do que vemos nessas animações e o mais legal disso tudo é que o roteiro nos convida, através do protagonista, a entrar na cabeça do assassino e ao invés de tentar descobrir quem é o vilão, somos instigados a buscar respostas para o que levou aquela pessoa a agir daquela forma.


Dado o contexto da história, bora descobrir o que achamos na temporada 2 chamada The Alienist: Angel of Darkenss

É simplesmente impossível falar dessa série sem mencionar o elenco maravilhoso que a compõe


Que elenco!


Dakota Fanning (Era uma Vez em Hollywood), Luke Evans (A Bela e a Fera) e Daniel Brühl (Capitão América: Guerra Civil) dão vida aos protagonistas da trama.


Sara (Dakota) era uma aprendiz de investigadora até a temporada passada e agora abre sua própria agência de investigação e sai atropelando todos os macho tóxicos da série mostrando que mulheres são tão ou mais competentes que qualquer par de calças.


John (Evans) é um jornalista que escreve para o The New York Times e está sempre em busca de furos ou de tragédias horríveis para ter uma desculpa de partir para a investigação junto da sua crush Sara. É perceptível a inversão de papéis propositalmente inserida no roteiro onde o homem em questão é que se sente intimidado pela figura da mulher e é ele que sonha em casar e ter filhos, Sara só quer uma carreira de sucesso e um homi pra sarrar.


E por ultimo, mas não menos importante, temos Lazlo (Daniel) que é o alienista em questão e que tem sérios problemas de empatia por ser uma pessoal completamente racional. Mesmo que o perfil do personagem seja controverso, nas suas ações e palavras você percebe que, do jeito dele, seu objetivo é simplesmente ajudar aquelas pessoas mentalmente comprometidas que saem por aí cometendo assassinatos em série.

Um trio sem nenhum defeito mas cheios de defeitos


A trama


Na primeira temporada da série (que é tão boa quanto), Lazlo, Sara e John tentam resolver os mistérios de assassinatos em série de garotos de programa. Enquanto Sara e John fazem de tudo para pegar o bandido, ter uma boa matéria para o jornal e uma reputação a provar, Lazlo quer simplesmente entrar na mente do assassino e entender as suas motivações.

Na segunda temporada, o bagulho fica mais tenso, pois o assassino prefere que suas vítimas sejam bebês. Então cê ta avisado que é pesadão caso queira assistir.


A temporada dois começa com uma cena incrível em que mulheres estão reunidas na frente de uma penitenciaria lutando por seus direitos pois uma mulher será executada por ter assassinado seu bebê sem terem provas concretas do crime. Se você é uma mulher que tem ranço de outras mulheres ou se você é homem, é bom que assistam essa série para que possam entender de forma clara qual o conceito de "sororidade".


Nessa temporada também podemos ver o protagonista Lazlo, tão seguro de si, começando a desconfiar da sua capacidade de alienista por ter perdido o caso que defendia da mulher em questão e mais tarde a situação para ele piora após quase perder uma das crianças do orfanato que administra.

De longe o personagem mais interessante mesmo que tenha perdido tempo de tela pois o foco da temporada dois é o desenvolvimento de Sara (e eu amei)


Centopeia Humana é fichinha


Se você pretende assistir essa série mas é uma pessoa de estomago fraco, aconselho que repense. Se repensar e decidir assistir mesmo assim, aconselho que não considere a ideia de maratonar. Essa é uma série pra você consumir aos poucos. Se quiser algo para maratonar é só clicar aqui.


Conforme os episódios vão seguindo e o roteiro se desenrolando, fica cada vez mais difícil de assistir devido a crueldade dos vilões. Confesso que no segundo episódio já estava impressionado e com o estômago embrulhado, isso que me considero uma pessoa bem forte pra essas coisas gore, mas tive até pesadelos a noite com bebês esquartejados.

Assisti com o senhor meu marido e sempre que tinham cenas dos irmãos legistas trabalhando pegava ele olhando pro lado ou com cara de espanto! Ossos do ofício


As coisas parecem de verdade!


O que torna The Alienist: Angel os Darkness tão interessante, além das atuações sensacionais, figurino, fotografia, trilha sonora, efeitos especiais e tudo mais (ok talvez nem precise falar mais coisas pois é realmente impecável) é o fato de misturarem tudo isso com elementos da realidade.


Então você verá menções a figuras que realmente existiram no mundo real e acontecimentos históricos que até para quem sabe o mínimo, causa uma certa familiaridade e você acaba pensando: "Caraca! Isso é muito real, existem pessoas más assim de verdade".


Diferente do caso da primeira temporada em que o assassino não está mais entre nós, aqui a história é diferente pois o assassino não é revelado só no último episódio. O que é muito legal pois a ideia do alienista investigar e estudar aquela pessoa pode ser melhor trabalhada.


Enquanto Lazlo apresenta fatores e histórias por trás da loucura do assassino, Sara passa a usar tudo que aprendeu com seu amigo psiquiatra para entrar na mente daquela pessoa, extrair a informação que precisa e ganhar o respeito de pessoas que até a temporada passada queriam ela morta! E John perde um pouco da relevância pois só fica correndo atrás da Sara e da noiva sem saber o que quer da vida.

Casos de Família: Ele quer casar mas eu só quero um P.A.


Mesmo com alguns erros de deixar qualquer um de cabelo em pé, tipo cinco meliantes invadindo uma delegacia, matando geral, saindo de lá com o prisioneiro e deixando vivos apenas o psiquiatra e a investigadora (Nada como Sabrina, eu garanto!) e personagens introduzidos meio do nada, a experiência de assistir uma série como essa é no mínimo interessante. E se você tiver estômago forte e paciência pra não correr pro final, é uma boa pedida! Mas segue meu conselho, não faz maratona e assiste de dia. Em tempos de quarentena é fácil ficar encanado com os acontecimentos da história.





0 comentário