Buscar
  • @_KaioMoura

Análise | The Umbrella Academy - 2ª temporada

Atualizado: 12 de jan. de 2021

Bom, se você realmente curte histórias de super heróis, porém está cansado da mesma fórmula Marvel/DC e adora personagens complexos, The Umbrella Academy é um prato cheio pra você.



A série é uma produção original Netflix desenvolvida por Steve Blackman que nada mais é do que uma adaptação da série de quadrinhos de mesmo nome criada por Gerard Way e o quadrinista brasileiro Gabriel Bá.


The Umbrella Academy conta a história de sete irmãos super poderosos que se reencontram após a morte do seu pai adotivo. Esse "retorno às origens" expõe vários segredos da família e revela um passado conturbado, além é claro, de uma boa ameaça à humanidade que nossos heróis precisam evitar.


A série estreou em 15 de fevereiro de 2019 na plataforma de streaming e após receber ótimas avaliações da crítica e do público. Apesar do seu tom e ritmo não ter agradado tanto, foi renovada para uma segunda temporada, lançada agora em 31 de julho de 2020.


Nessa nova temporada os irmãos Hargreeves são teleportados para a década de 1960. O problema é que cada um deles chegou em Dallas em uma data diferente, o que já traz o primeiro grande desafio dos irmãos: se adaptarem sozinhos a uma nova realidade e tentar encontrar uns aos outros.


Na tentativa de fugir de um apocalipse em 2019, eles sem querer trouxeram o fim do mundo para os anos 60. Agora eles precisam evitar essa nova catástrofe, porém eles têm poucos dias pra resolver essa bagunça e conseguir voltar para sua linha do tempo original.


Mas o que temos de novo?



Bom, além da trama se passar em um ambiente e tempo totalmente diferentes da primeira temporada, temos a introdução de novos personagens que não demoram muito pra te cativarem. Como cada um dos irmãos precisou tocar a vida sozinhos no passado, eles desenvolveram relacionamentos com pessoas comuns, desde amizades, interesses românticos e até um culto religioso no caso do Klaus (Não dava pra esperar menos dele haha).


Mas a dona Netflix foi bem esperta, esses personagens novos não estão aí só de enfeite. Com o passar dos episódios você percebe o quanto cada um deles é importante para o desenvolvimento dos protagonistas. Com essa independência das obrigações com a família, podemos nos aprofundar bastante nas emoções e nas histórias de cada um dos irmãos. Você chega a torcer para que a vida que eles começaram alí dê certo, mas ao mesmo tempo você quer muito que eles se reencontrem e comecem a quebrar tudo.


Tem drama, tem humor, mas acima de tudo tem AÇÃO!



Como falei no início da matéria, o ritmo da série na primeira temporada não agradou tanto o público, às vezes demorava muito pra termos uma cena de ação e isso podia deixar você um pouco entediado. Bom, nessa nova temporada a Netflix não economizou na adrenalina. São várias cenas muito boas de lutas, nossos heróis exploram ainda mais os seus poderes e temos novas aquisições de elenco no núcleo da ação. (É tiro, porrada e bomba pra todo lado)


Duas coisas me deixaram bem empolgado nessa temporada, as coreografias de lutas e a evolução que cada personagem teve com os seus poderes. Klaus apesar de ser o grande alívio cômico da série, deixa suas habilidades mais livres e dá mais autonomia para o Ben. Vanya nossa 'garota-problema' começa a explorar e controlar melhor seus poderes. Cada um dos personagens mostra que são completamente incríveis seja junto da família ou em situações em que se vêm sozinhos.


Muito mais do que apenas uma história de heróis.



Nessa temporada, The Umbrella Academy foi muito além da ação e da conturbada relação familiar dos irmãos Hargreeves. A produção se preocupou em abordar temáticas bem sérias e levantar discussões totalmente relevantes atualmente. Desde a homofobia, passando pelo machismo e falando principalmente sobre o racismo do país na década de 60.


Se você já procurou saber um pouco sobre a história do racismo, já deve ter ouvido falar de um dos períodos mais desafiadores para os negros nos Estados Unidos, a segregação racial. A Allisson vive na pele o preconceito da época e protagoniza uma das cenas mais impactantes da série (foto). A produção fez um ótimo serviço em relação as lutas sociais representadas, é impossível você não se emocionar com cada uma delas.


E como estão os 'Casos de Família' na temporada?



Como já sabemos, a relação familiar dos nossos heróis passa longe de ser saudável. Além de terem tido uma infância destruída graças a forma que foram criados (cada um com seus 'Dad issues') a relação fraterna dos nossos heróis também tem seus altos e baixos, mais baixos nesse caso. O bloqueio emocional que cada um criou em relação aos outros é o principal motivo que acarreta em discussões e brigas, que por sua vez é o fio condutor para as grandes catástrofes da série.


Nessa nova temporada, a gente chega a pensar "Caramba, eles realmente não aprenderam nada", mas aí você percebe que existe uma boa evolução no relacionamento familiar. Os irmãos se encontram mais envolvidos com os mistérios do passado do seu pai e em vários momentos o amor que têm uns pelos outros é posto à prova.


Apesar de todas as brigas e dramas pessoais, vemos os irmãos desenvolvendo seus laços fraternos e protagonizando cenas de aquecer o coração. O humor da série, às vezes um pouco sádico, também contribui para algumas cenas que nos fazem olhar pra os personagens como apenas crianças perdidas que só precisam se divertir um pouco.


Acabou ou tem mais?



Bom, se você já assistiu a temporada nova, viu que tivemos um grande plot twist no final da temporada. OBVIAMENTE a Netflix quer mais Umbrella, e nós também. Ao final temos uma referência direta ao novo círculo da HQ, a Sparrow Academy.


Em alguns momentos a produção peca, como por exemplo em situações que seriam facilmente resolvidas se os personagens "lembrassem" que têm poderes. Você também pode achar que os personagens já estão demorando demais pra subir o nível de suas habilidades, o que também pode deixar as cenas de ação como mais do mesmo.


Mas no fim eu acho que The Umbrella Academy entrega um ótima temporada e até sobe o nível da produção. Fica cada vez mais difícil ter apenas um personagem favorito e sem contar na trilha sonora que é um show à parte.


E você, já fez a sua maratona? Conta pra gente o que mais gostou nessa temporada e quais são as suas expectativas para um possível terceiro ano da série.

0 comentário