Buscar
  • Hueber Silva

Análise | Transplant: Uma Nova Vida - Série que traz a realidade e humanidade em uma emergência

Atualmente as séries médicas estão em alta, muitas fazem muito sucesso, mas uma tem chamado muito a atenção, a série Transplant: Um Nova Vida, chegou um pouco com desconfiança do público por se tratar de uma série canadense (nada contra as séries canadenses), aconteceu que deu tudo certo e a nova série acabou sendo aclamada pela critica internacional.


Criada por Joseph Kay, a série começa com um grave acidente em um restaurante, quando um caminhão invade o local. Um dos atendentes do local consegue salvar os feridos e, para isso, usa métodos bem inusitados. Ele é Bash (Hamza Haq), um médico sírio, que escapou da guerra em seu país de origem, trazendo consigo sua pequena irmã Amira (Sirena Gulamgaus), já que os pais não sobreviveram a atentados.


Entre todos os acidentados está o Dr. Jed Bishop, que é diretor do York Memorial Hospital de Toronto, ele fica gravemente ferido e acaba sobrevivendo graças aos conhecimento do jovem médico Bash. Claro que após isso o diretor Bishop acaba contratando ele para integrar a equipe de residentes do hospital.


A trama se desenrola em torno da vida de Bash, onde mostra suas dificuldades de como ele consegue sobreviver sendo um refugiado, mostra também o preconceito que algumas pessoas ainda tem contra essas pessoas, durante a série em dois ou três episódios, alguns pacientes se recusam a ser atendido por Bash por conta de sua nacionalidade. Isso levanta questões no qual devemos pensar sobre, como o preconceito contra essas pessoas que buscam uma vida melhor em um outro país.


A série em si tem um roteiro muito bom, personagens bem construídos ao longo dos episódios, já a trama acerta em cheio em não focar muito em romances como estamos acostumados a ver em Grey's Ananotmy por exemplo, onde vemos muito mais romance do que médicos exercendo sua profissão. Em Transplant isso fica um pouco de lado e mostra o dia-a-dia de uma emergência em um hospital.


O ator Hamza Haq, que mora no Canadá desde os nove anos, chegou a cursar um período em Medicina, mas abandonou a área para se dedicar à interpretação. Talvez isso tenha contribuído para seu desempenho na série, que ganhou muito com sua participação como protagonista, dando vida a esse médico que procura se adaptar a essa nova realidade.


Um ponto interessante que podemos ver é a união que essas pessoas tem com seu próprio povo, onde de todas as maneiras elas tentam se ajudar, mesmo estando de forma ilegal no país. Mas nem tudo é flores, claro que existem alguns furos no roteiro, mas não estraga e nem apaga o brilho da série que entrega algo extraordinário e nos leva a refletir em diversas questões.


A primeira temporada está disponível na plataforma de streaming Globoplay.


0 comentário