Buscar
  • daianeohare

Análise | Vikings - Nos vemos em Valhalla

Depois de aguardar um um pouco finalmente tivemos a estreia na Netflix da segunda parte da sexta e última temporada de Vikings de Michael Hirst, então bora saber o que achamos desse fim derradeiro?

Caso você não saiba, Vikings do History Channel, conta a história da "Era Dourada" desse povo, valendo aqui ressaltar que os vikings não são um povo, ser viking está mais ligado ao estilo de vida adotado por determinados grupos, ao longo das suas seis impecáveis temporadas podemos acompanhar um pouco dessa história tão incrível e sanguinária.


A gente até tenta, mas sempre acaba traçando um paralelo entre Vikings e outra queridinha da audiência - Game of Thrones - talvez pela temática medieval traçar essa paralelo entre as duas é quase que natural, só que paramos por aí né? A última temporada de Vikings não deixou à desejar em absolutamente nada, diferente da nossa outra amiga aí.

A segunda parte da sexta temporada deixou de lado um pouco as batalhas épicas e se concentrou em nos dar o fim que queríamos e que merecíamos, adotando um tom mais melancólico a série se preocupou em amarrar todas as pontas soltas e encerrar as histórias de todos os personagens, queridos ou não, pelos fãs.


Alguns cenários já conhecidos pelos fãs e outros novos também tiveram seu espaço para encerrar essa saga, o fim era inevitável e foi belíssimo, então a ausência de um gancho para possíveis sequências não deixa aquele gosto amargo, muito pelo contrário, deixa aquele sabor de missão cumprida, e qualquer outra série que surja derivada de Vikings terá outra história pra contar, afinal, a Era dos Heróis realmente acabou.


Outro ponto interessante é que não há mocinhos ou vilões, é só uma história contada, sem julgamentos, sem pretensão alguma de mostrar o lado "certo" da história, muito pelo contrário, nos mostra que há muito mais tons de cinza do que realmente o lado "bom ou mal" de cada personagem ou povo que foi mostrado ao longo das seis temporadas.

Com o tom de despedida, que não é apelativo, fomos levados pelo coração e emoção durante essa segunda metade da temporada, encontrando redenção para alguns personagens revisitando outros tão queridos, mas todos com o fim que mereciam, como não poderia deixar de ser nos encontraremos em Valhalla.


De maneira geral, a série foi irretocável, uma obra prima que será lembrada pelos fãs do gênero, afinal não tem como não se apaixonar, por Ragnar, Lagertha, Bjorn e todos os demais guerreiros vikings que fizeram história nas telas e fora delas.


Se você ainda não se convenceu que essa série foi incrível, vai dar o play na Netflix e depois volta aqui pra dizer que foram as melhores seis temporada da sua vida! Skol!


0 comentário