Buscar
  • daianeohare

10 quadrinhos de super-heróis mais românticos já publicados

Atualizado: 4 de mar. de 2021

Os quadrinhos geralmente são um prato cheio para os amantes de ação e suspense, com cenas e poderes mirabolantes são em sua grande maioria feitos para nos entreter. Mas quem disse que não podem ser românticos?


Cada vez mais as histórias em quadrinhos possuem tramas complicadas e narrativas intensas e melodramáticas, que nos impactam e em alguns momentos podem sim partir nossos corações. Confira uma lista com essas história que com certeza arrancarão uma ou duas lágrimas.


1. "Visão e Feiticeira Escarlate" de Steve Englehart & Richard Howell


Com WandaVision deixando os fãs da Marvel ansiosos todas as semanas, agora é um bom momento para olhar para trás e para uma das principais inspirações dessa série. Foi sob o comando de Steve Englehart em Os Vingadores que a Feiticeira Escarlate e Visão se uniram, culminando em seu casamento em Vingadores em Tamanho Gigante # 4. Após "Vision & Scarlet Witch", escrita por Bill Mantlo em 1982, Englehart voltou para uma minissérie com o mesmo nome da primeira, mas três vezes maior.


Esta minissérie se concentrou mais no drama doméstico e apresentou Tommy e Billy. Embora seja uma das influências mais claras em WandaVision, os fãs só podem esperar que a série tenha um final mais feliz do que a versão em quadrinhos que a família teve.


2. "Green Arrow: Rebirth" #1 de Benjamin Percy & Otto Schmidt


Lançado no Brasil sob o título de Renascimento durante o ano de 2016, Rebirth pretendia restaurar todo o Universo DC antes da saga Ponto de Ignição.


Oliver Queen e Dinah Lance tiveram um dos relacionamentos mais duradouros do cânone da DC, mas após a reinicialização em Novos 52, ​​a história foi reescrita para que eles nunca se conhecessem, muito menos estivessem juntos. Após o lançamento de DC Rebirth, a primeira edição do Arqueiro Verde de Benjamin Percy retificou isso.


Nesta edição, o Arqueiro Verde e Canário Negro se cruzam enquanto investigam o caso de uma pessoa desaparecida. Embora Dinah não esteja nada impressionada com o estilo de vida de Oliver, as faíscas voam instantaneamente; mesmo privados de suas memórias, os dois sentem que eles deveriam estar juntos.


3. "Confusão no edifício Baxter" (Fantastic Four Annual #3) de Stan Lee & Jack Kirby


Casamentos entre super-heróis é um evento muito comum hoje em dia, o casal pioneiro nesse tipo de história e que estabeleceu padrões foi o Quarteto Fantástico. Reed Richards e Sue Storm finalmente se casaram, fazendo com que toda a comunidade de super-heróis comparecesse em homenagem à primeira família da Marvel.


Doutor Destino, no entanto, não tem intenção de permitir que o dia do casamento de seus arquiinimigos seja feliz, e assim reúne um exército de super vilões para acabar com o casamento. No final, porém, o amor vence tudo; Reed e Sue permaneceram juntos desde a publicação da história.


4. "Superamigos" (Batman #36-37) de Tom King & Clay Mann


Não há dois super-heróis que se encontrem com mais frequência do que Superman e Batman, mas este arco de duas partes da edição de Batman de Tom King consegue trilhar novos caminhos com o conceito, pois o enredo se concentra em Bruce e Selina indo em um encontro duplo com Clark e Lois.


Os casais escolheram para a ocasião uma noite de fantasias de super-heróis, então, para evitar suspeitas, os pares trocam de fantasias. Assim, a diversão e o vínculo seguem com Bruce vestido como Superman, Clark como Batman, Lois como Mulher-Gato e Selina como Lois.


5. "All-Star Superman" de Grant Morrison & Frank Quitely


All-Star Superman é um mar coisas, incluindo um retrato sincero do amor eterno de Superman por Lois Lane. Doente terminal após uma overdose de radiação solar, Superman começa a colocar seus negócios em ordem. No topo de suas prioridades está o amor de sua vida; na edição # 2, ele finalmente revela sua identidade secreta para ela, então no próximo capítulo ele dá de presente de aniversário a Lois uma fórmula que replica seus poderes por 24 horas, permitindo-lhes experimentar os altos de sua existência divina juntos.


Então, no final da história, pouco antes de Superman partir deste mundo, seus últimos suspiros são um voto de amor a Lois. Se você não se emocionar, releia.


6. "Homem-Aranha ama Mary Jane" de Sean McKeever, Takeshi Miyazawa, & Christina Strain


O Homem-Aranha Ama Mary Jane é uma rara história em quadrinhos de super-heróis voltada explicitamente para mulheres em vez de homens, e onde o romance é a atração do livro, e não uma subtrama. Semelhante a Ultimate Spider-Man de Brian Michael Bendis e Mark Bagley, a série reinventa Peter Parker e MJ em um ambiente contemporâneo de colégio.


Ao contrário de Ultimate, MJ é a personagem principal e as aventuras do Homem-Aranha são, no máximo, secundárias. A arte de Takeshi Miyazawa ajuda o clima do livro, adicionando um brilho que complementa a história perfeitamente.


7. "Vampira & Gambit"/"Sr. And Sra. X" By Kelly Thompson & Pere Perez/Jan Bazaldua


Kelly Thompson escreveu duas minisséries sucessivas estrelando um dos casais mais duradouros dos X-Men. A minissérie inicial, com cinco edições com arte de Pere Perez, apresenta os amantes sendo enviados a um resort para investigar mutantes desaparecidos. Enquanto estão lá, eles aproveitam os serviços de terapia de casais e saem com uma nova apreciação não apenas um pelo outro, mas pelas lutas que compartilharam em seu relacionamento.


A subsequente minissérie de doze edições, derivada do casamento de Vampira e Gambit em X-Men: Gold # 30 (Marc Guggenheim & David Marquez), traz o casal equilibrando sua vida de casados ​​com super-heroísmo. Sua lua de mel cósmica é interrompida por uma luta pelo poder no Império Shi'ar, eles são escolhidos como as estrelas do último programa de Mojo, e nas edições finais da série eles têm que lidar com os compromissos de Remy com a Guilda dos Ladrões.


8. "A trilogia das cores" de Jeph Loeb & Tim Sale


Entre 2002 e 2004, Jeph Loeb & Tim Sale lançaram uma trilogia da Marvel: Demolidor: Amarelo, Homem-Aranha: Azul e Hulk: Cinza. Desconectada narrativamente, mas tematicamente ligada, todas as minisséries se concentram nos personagens-título em luto por seus respectivos amores perdidos (Karen Page para Matt, Gwen Stacy para Peter e Betty Ross para o Hulk).


Este luto nos presenteia com cenas nostálgicas dos relacionamentos desses heróis, esta trilogia é a prova de que coisas bonitas podem vir de coisas terríveis.


9."Rito de Primavera" (A Saga do Monstro do Pântano #34) de Alan Moore & Steven Bissette


Alan Moore criou uma exibição inovadora em A Saga do Monstro do Pântano com uma das mais belas histórias de amor dos quadrinhos convencionais. O romance começa na edição # 34, "Ritual de Primavera" - quando Abby tenta confessar seus sentimentos, em seguida, questiona como o Monstro do Pântano poderia amá-la, ele responde "Profundamente ... silenciosamente ... e por muitos anos."


Depois de se beijarem, Abby come um tubérculo cultivado no corpo do amado. A partir desse sabor, ela experimenta uma comunhão mais profunda com ele do que qualquer outra coisa poderia oferecer. Em uma sequência de bela surrealidade, Abby sente o mundo como o Monstro do Pântano sempre sente, tornando-se não apenas sua consciência, mas a própria alma da Terra.


10. "To Have And To Hold" (Sensational Spider-Man Annual #1) de Matt Fraction & Salvador Larroca


Irônico; é uma história sobre como os momentos felizes são fugazes, o que mostra porque o amor de Peter Parker e Mary Jane Watson é para sempre. O criticado One More Day de Joe Quesada encerrou o casamento de 21 anos de Peter e MJ, e ficou ainda mais amargo desde que veio na sequência de uma história que narrava seu amor como nenhuma outra - "To Have And To Hold". Com Peter como um fugitivo após os eventos da "Guerra Civil" (Mark Millar e Steve McNiven), MJ é emboscada por um agente da SHIELD, oferecendo sua imunidade se ela trair seu marido. Do outro lado da cidade, Peter tenta se transformar em um detetive da NYPD para comprar imunidade para MJ.


A partir daí, Peter e MJ descrevem as partes iniciais de seu relacionamento até o primeiro beijo. Os flashbacks são desenhados no estilo de John Romita Sr. com balões de pensamento mostrando as ansiedades mútuas que os dois sentiram. Essa última parte é crucial; "To Have And To Hold" é um sucesso porque centra as duas metades do amor, mostrando como e por que apenas Peter e Mary Jane poderiam ter ficado juntos.


Curtiram a lista? Quais dessa lista vocês já leram? Conte pra gente nos comentários!


0 comentário