Buscar
  • @luigienricky

#TBT | Crazy Taxi

Atualizado: 29 de out. de 2020

Aaaah os anos 2000! A década em que a moda era usar calça com vestido, ternos feitos de jeans, calças com 700 bolsos e penteados malucos. No mundo dos games não poderia ser diferente para fazer jus a este período em que casais improváveis eram formados no meio artístico mais difíceis de acreditar do que Faustão e Selena Gomes.


Foi neste período também que a dona SEGA, mãe de SONIC, resolveu trazer para o seu então console de mesa, Dreamcast, o primeiro game da franquia Crazy Taxi!


Protagonistas carismáticos

(Axel, B.D. Joe, Gena e Gus foram os primeiros protagonistas que conhecemos)


A primeira coisa que você precisava fazer antes de começar a... Ajudar (?) seus passageiros, era escolher quem seria o seu motorista (ou piloto?). Dos quatro, o que mais se destaca é o carismático B.D. Joe que inclusive já representou o game em outros jogos de corrida da SEGA como a franquia Sonic All Stars, por exemplo.


Porque esse game merece ser jogado?


Além de lançar um game aclamado pela crítica, a SEGA foi muito inteligente ao pensar no marketing do jogo. Durante o gameplay você verá várias marcas famosas espalhadas pelos dois mapas que são bem grandes para a época.


A trilha sonora também conta com muitas músicas e bandas famosas dos anos 80 e 90 e enquanto você leva um passageiro até o Pizza Hut mais próximo poderá curtir um som que harmoniza com a adrenalina e o desespero que dá no jogador vendo o tempo passar no reloginho.


O que precisa fazer nessa bagaça?

Eu tinha a versão original de Dreamcast!


O objetivo do jogo é relativamente simples: Leve a maior quantidade de passageiros no menor tempo possível, mesmo que você precise atropelar algumas pessoas inocentes ou passar por caminhos que não deveriam ser passáveis.


Conforme você avança no game e ganha dinheiro também vai avançando a sua carteira de motorista até a "classe A". Só que nem sempre o destino do passageiro era claro, e em um determinado momento ele só vai dizer pra onde quer ir e você que se vire pra achar quando a setinha do GPS decide que não quer aparecer mais.

(Servimos bem para servir sempre!)


O Jogo fez muito sucesso, basta buscar por aí as notas das críticas especializadas. Com a saída da SEGA do mercado de consoles, o game acabou sendo lançado para outras plataformas como Playstation 2, XBox e Game Cube alguns anos depois.


A mecânica do jogo embora simples de aprender, era complexa para se especializar e perfeitamente fluida. Sabendo o diamante que tinha em mãos, a SEGA patenteou o programa desenvolvido para o game para que nenhum outro jogo de corrida pudesse copiar as suas mecânicas de física e jogabilidade sem lhe pagar os devidos honorários. O que gerou até um processo milionário contra um jogo de corrida de uma certa família amarela muito famosa na televisão.


E aí? Você já teve o privilégio de jogar essa belezinha? Foi a versão original de fliperama ou alguma das versões para consoles? Qual era seu personagem favorito? Para a surpresa de absolutamente ninguém, eu amava a Gena!


0 comentário