Buscar
  • Giulia K. Rossi

#TBT | The Good Place – Muito mais que uma simples comédia!


São poucas as séries de comédia que conseguem não apenas fazer o público dar risada, mas também levantar reflexões importantes sobre a vida. The Good Place, o sitcom de Michael Schur (The Office), estrelado pela carismática Kristen Bell e o icônico Ted Danson, faz isso de uma maneira simples, criativa e divertida. Se você ainda não assistiu, não sei o que você está esperando!

Um dupla dessas, mds!

Como tudo começou...

A história se inicia quando a egocêntrica Eleanor Shellstrop (Bell ) morre. Literalmente. Após a sua morte prematura (atingida por nada menos que um carrinho de compras enquanto tentava recuperar uma mistura de Margarita - isso já diz muito sobre a série, fala sério), Eleanor é mandada (por engano!) para uma espécie de paraíso, o – rufem os tambores – "Good Place". E, é claro, essa confusão gera grandes consequências.


Logo de cara, Eleanor percebe que não pertence àquele lugar, mas decide não contar a verdade. Talvez para evitar ser mandada para o inferno e ser torturada pela eternidade... Só um palpite.


Com o tempo Eleanor percebe que sua presença no “paraíso” desequilibra a ordem natural do lugar, e ela precisa de um plano rápido para não ser desmascarada por Michael (Danson), o “anfitrião” e comandante do Good Place. É ai que entra Chidi (William Jackson Harper), um professor de filosofia e ética que coincidentemente é tido como a “alma gêmea” da suposta Eleanor. Ele concorda em dar aulas de ética para ela e ajudá-la em sua farsa - contanto que ela esteja disposta a realmente mudar.


Sem medo de ser estranho!


Algo que chama bastante atenção em The Good Place, além do visual próprio que foi criado para dar vida ao “Céu” (você nunca mais vai olhar para Frozen Yougurt da mesma forma), são os seus personagens.


Além da nossa protagonista sarcástica, Eleanor, o indeciso Chidi, e o multifacetado Michael, temos a nossa querida faz-tudo Janet (D'Arcy Carden) - que não é nem uma robô, nem uma mulher, só para deixar claro -, o inocente e bobo Jason (Manny Jacinto), e a atraente socialite Tahani (Jameela Jamil). Todos têm seus próprios segredos, objetivos e personalidades, e vão amadurecendo ao longo das temporadas sem parecer forçado.



É difícil imaginar uma série sem cada um deles, se complementando e nos fazendo rir das coisas mais aleatórias possíveis. The Good Place sabe muito bem explorar o emocional, ao mesmo tempo que aposta sem temor no bizarro. Tem demônios, camarões voadores e até joaninhas gigantes. Em um momento, a série até mesmo nos fez acreditar que um simples burrito poderia decidir o futuro inteiro da humanidade!


As mil e uma reviravoltas e o inevitável fim!


Esse é aquele tipo de série que você gosta de assistir para relaxar, rir e se entreter, e não deixa de ver um único episódio para poder acompanhar as maluquices de cada personagem, sempre torcendo por eles. Como se não bastasse tudo isso, a série ficou conhecida pela sua originalidade e pelas suas várias reviravoltas ao longo das temporadas. O gancho deixado na primeira é icônico!


Mas, apesar de tudo isso, a série não se perdeu. Teve pontos mais altos e outros mais fracos, assim como a maioria das produções, mas, como um todo, The Good Place sabe a história que quer contar e a mensagem que pretende passar em seu final. E o fim não é nada menos que emocionante e muito bem construído.


Nós (literalmente) dizemos adeus para os personagens que amamos e refletimos sobre o sentido da vida e sobre a importância das nossas relações e das atitudes que tomamos ao longo do caminho. Acredite, você não vai querer ser mandado para o "Bad Place" – então aperta o play e vai logo assistir essa série incrível na Netflix!


Aproveitem para comentar, compartilhar e nos seguir nas redes sociais!!



0 comentário